Terça-feira, Agosto 9, 2022
InícioAnáliseClubeUm resumo de coisas bem graves, mas que não foram chamadas de...

Um resumo de coisas bem graves, mas que não foram chamadas de terrorismo

Ainda estamos todos meio embasbacados com a forma como o ataque de Alcochete foi classificado como um acto terrorista, agora sabemos bem com que intenções (link).

Mas vale a pena ver uma pequena cronologia sobre alguns factos que ocorreram, de extrema gravidade, mas que ao contrário de Alcochete não foram classificados como actos terroristas.

Uma não muito breve lista de actos não terroristas

1992 – Claques do Benfica agridem barbaramente um idoso do Belenense enquanto hasteavam orgulhosamente a bandeira e símbolos nazis. Não foi terrorismo.

1993 – Claques do Benfica apedrejam criança. Não foi terrorismo.

1996 – Claques do Benfica responsáveis pelo primeiro homicídio no futebol português. Não foi terrorismo.

2004 – Um confronto entre um grupo de 20 adeptos do Benfica e Sporting com armas brancas e tacos de basebol, junto à Estação de Santa Apolónia causou dez feridos, 3 deles, afectos ao clube ‘leonino’, foram esfaqueados e ficaram em estado grave. Não foi terrorismo. 2008 – Adeptos do Benfica perseguem 3 adeptos do Sporting em plenas ruas de Lisboa acabando por conseguir esfaquear um dos apoiantes do clube verde e branco. Não foi terrorismo.

2008 – Adeptos do Benfica provocam desacatos que resultam em 3 adeptos do Vitória de Guimarães feridos (um deles esfaqueado) e na vandalização do estádio do Vitória. Não foi terrorismo.

2008 – Grupo de adeptos do Benfica incendeiam, em plena Avenida de Berna, um autocarro que transportava adeptos do FC Porto. Não foi terrorismo.

2009 – Cerca de 50 adeptos do Benfica invadem Alcochete e causam o caos envolvendo agressões e feridos (soa familiar?) enquanto se disputava um jogo das camadas jovens. Não foi terrorismo.

2010 – 9 adeptos do Benfica conseguem dados pessoais dos árbitros, Jorge Sousa e Vasco Santos, ameaçando os mesmos e suas famílias de represálias. “Vê lá se apitas com isenção” ou “sei com quem estás feito e sei onde moras” são apenas algumas das mensagens que Jorge Sousa começou a receber em Novembro de 2009, antes de um Braga-Benfica (2-0). Sucederam-se novos SMS e várias chamadas em que o árbitro era ameaçado de morte. Não foi terrorismo.

2011 – Quando parte da claque bracarense se dirigia para a bancada, trocou insultos com os adeptos do Benfica no local: alguns elementos ficaram para trás e os visitantes brindaram-nos com o arremesso de garrafas e outros objetos resultando num apoiante do Braga ferido com gravidade. Não foi terrorismo.

2013 – Vitória de Guimarães conquista Taça de Portugal e as celebrações dos adeptos vimaranenses foram mal recebidas pelos benfiquistas, que reagiram com violência. Não foi terrorismo.

2015 – Centenas de adeptos do Benfica agridem funcionários do Vitória de Guimarães, vandalizam o estádio e roubam material desportivo do armazém. Ainda estamos à espera que sejam detidos (pelo menos os que aparecem nas filmagens), mas claro que não foi terrorismo.

2015 – Adeptos do Benfica em Madrid atiram tocha que provoca queimaduras a uma criança. Não foi terrorismo.

2015 – Entre duas e três dezenas de adeptos do Benfica, boa parte deles afetos à claque ‘No Name Boys’, invadiram o centro de estágios do Seixal, à hora do treino da equipa principal de futebol (lembra alguma coisa?). Não foi terrorismo.

2016 – Um grupo de adeptos italianos, quando se deslocava para o Estádio da Luz foi atacado por adeptos benfiquistas. Não foi terrorismo.

2016 – Adeptos do Benfica recebem com tiros o autocarro da equipa após desaire em Setúbal. Não foi terrorismo.

2016 – Adeptos do Benfica fazem emboscada a uma criança em cadeira de rodas como represália por festejar a vitória do FC Porto B sobre o Benfica B, num jogo a contar para a Premier League International Cup. Não foi terrorismo.

2017 – 22 adeptos do Benfica acusados pela morte de adepto do Sporting junto ao estádio da Luz. Não foi terrorismo.

2017 – Adeptos benfiquistas forçam a evacuação de parte da bancada durante a Supertaça em Aveiro devido a onda de violência. Não foi terrorismo.

2017 – Cerca de 150 adeptos do Benfica forçam a evacuação de parte da bancada do estádio do Guimarães devido a onda de violência. Não foi terrorismo.

2017 – O árbitro Nuno Almeida, recebeu ameaças de morte na véspera do jogo entre o V. Guimarães e o Benfica tendo-se deslocado ao Minho sobre escolta policial. Não foi terrorismo.

2017 – Batalha campal entre adeptos do Benfica e adeptos do Basileia no exterior do estádio da luz resulta em tiros. Não foi terrorismo.

2017 – Batalha campal entre adeptos do Benfica e adeptos do CSKA no exterior do estádio da luz. Não foi terrorismo.

2018 – Adeptos do Benfica causam o caos em Braga e agridem adeptos locais antes de jogo de futsal. Não foi terrorismo.

2018 – Batalha campal nas imediações do Estádio da Luz, com o balanço a traduzir-se em seis polícias feridos. Não foi terrorismo.

2018 – Dezenas de adeptos do Benfica fazem espera a adeptos do Ajax forçando-os a procurar refúgio dentro de um hotel que acabou vandalizado. Um dos adeptos holandeses acabou ferido. Não foi terrorismo.

Dados recolhidos e publicados por @pedrotarrinho

Ainda faz sentido classificar o ataque de Alcochete como terrorismo?

Esta é uma pergunta interessante, mas que para algumas pessoas dentro do ministério público continua a fazer sentido.

Isto no entanto indo contra o que a maioria dos magistrados, inspectores da PJ, e pessoas pensantes deste país entendem. Mas todos já percebemos que argumentos são coisa que interessa pouco a algumas pessoas…

O que dizer das Hienas mascaradas de Leões que surgiram ontem?

0
Odeio perder, é algo que me irrita solenemente. E quando me falam em empatamos em Braga na minha cabeça só ressoa derrota. Sim, para...

Nuno Ferreira Pires, CEO da Sport TV e principal culpado no atraso da centralização...

3
Nuno Ferreira Pires é a principal cara contra a centralização dos direitos televisivos em Portugal. A mesma pessoa que decide pôr jogos da Primeira Liga...

Oito anos de Sporting com Filtro

0
Há um ano escrevia que continuaria o Sporting com Filtro, pelo menos mais um ano após longa reflexão. Hoje ao fazer oito anos deste...

Olhar um pouco de olhos abertos sobre os valores de Darwin

2
Normalmente quando falo dos outros clubes, sejam eles Porto, Benfica ou outros, tendem a ser por casos que nos afectam também a nós. Hoje,...

Fernando Gomes em Golpada na Federação?

0
Fernando Gomes, presidente da FPF, está a chegar ao fim do seu mandato. Presidente da federação desde 2011, Fernando Gomes está prestes a cumprir...

2 COMENTÁRIOS

  1. Uma organização criminosa e terrorista, comandada por um ladrão de camiões e traficante de droga, apoderou-se de um clube de futebol e continua a espalhar o terror por onde passa, com a cumplicidade dos poderes políticos, judiciais e policiais. Até quando?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site utiliza cookies. Mais informação

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.

Fechar