Segunda-feira, Novembro 28, 2022
InícioAnáliseJogosSporting vs Dortmund - Jogadores 1 a 1 (notas de Record, A...

Sporting vs Dortmund – Jogadores 1 a 1 (notas de Record, A Bola e comentário nosso)

Notas dos jogadores na partida de ontem frente ao Dortmund pelo Record e A Bola. E com um comentário da nossa parte. De notar que as notas do Record vão de 0 a 5 e n’A Bola de 0 a 10.

Rui Patrício – Record 3 – A Bola 5

Dois golos sofridos. Sem grande culpa, mas são golos. Fez ainda uma boa defesa.

Ezequiel Schelloto – Record 3 – A Bola 5

Sou sincero, não gostei da exibição. Posicionalmente errou bastante, e as recepção de bola junto as laterais deixou a desejar. E considero que muito do que perdemos a meio campo vem de mau posicionamento dele e de Marvin.

Rúben Semedo  – Record 2 – A Bola 4

Exibição bipolar de Semedo. Gosto muito dele, mas fez alguns cortes de elevado grau de dificuldade, mas inventou bastante noutras alturas. Não foi a sua melhor noite, mas recordar também quem era o adversário e que ele vinha de lesão.

Sebastian Coates – Record 3 – A Bola 6

Acho que a nota a Coates peca por escassa em ambos os jornais. Exibição muito positiva do central. Cortes arriscados mas sempre certeiros. Uso muito bem conseguido do poderio físico.

E ainda arrancou pela zona central fora para uma jogada de ataque levando tudo atrás como se de uma locomotiva se tratasse. E claro, marcou um golo limpo prontamente anulado.

Marvin  – Record 3 – A Bola 5

Os jornais gostaram mais da exibição dele que eu. Um grande corte em tempo de descontos. E um cruzamento perfeito para Bas Dost.

O resto foram uma panóplia de erros posicionais, perdas de bola infantis a meio campo, e arriscar quando não devia. Mas é verdade que melhorou muito ao intervalo.

William Carvalho – Record 4 – A Bola 6

Nota bem mais alta no Record que n’A Bola. Eu pessoalmente fiquei deliciado com a segunda parte. E na primeira fez um jogo muito forte ofensivamente. Mas pior defensivamente nesse período.

Na retina ficam os passes longos perfeitos que fez e as arrancadas com que nos brindou. A evoluir a cada dia que passa.

Elias – Record 2 – A Bola 4

Aqui sou mais brando que os jornais. Penso que se desgastou muito com a constante busca em defender os espaços que os defesas laterais perdiam. E como tal andou sempre demasiado recuado.

E claro, não tem a qualidade e intensidade a pressionar de Adrien, e isso será sempre um fantasma.

Gélson Martins – Record 4 – A Bola 7

Não me lembro de um lance em que recebesse a bola e não aparecessem logo pelo menos dois jogadores do Dortmund. Altamente policiado baixou como é óbvio a quantidade de lances decisivos criados. Mas mesmo assim conseguiu criar perigo e meter em água a cabeça de quem o defendia.

Está um jogador fenomenal.

Bryan Ruiz – Record 2 – A Bola 5

Não é dos mais pressionantes mas fez um trabalho notável na ocupação de espaços. Um jogo muito posicional e discreto.

Fica no entanto manchado pela recepção do passe longo de William aos cinco minutos que o colocou na cara do guarda redes. Tem qualidade para receber a bola bem melhor ali, e consequentemente marcar golo.

Markovic – Record 2 – A Bola 4

Para mim foi o jogador mais bem defendido pelo Dortmund. Sempre que ia para receber a bola um adversário encostava-se às suas costas impedindo-o de virar e embalar. E não o deixaram embalar nunca, mesmo recorrendo à falta quando precisaram.

Bem anulado, e não é um jogador talhado para ser muito pressionante. No entanto acho que se colocou bem em campo para permitir sempre uma linha de passe para a saída da defesa.

Bas Dost – Record 2 – A Bola 5

Dois remates que fez e que normalmente seriam golo da sua parte. Bolas colocadas ligeiramente demais. Azar para ele, e especialmente para nós.

Trabalho de desgaste intenso durante 90 minutos a fixar os centrais germânicos no entanto. Não faz a pressão de Slimani, mas luta com os centrais de forma diferente.

Bruno César – Record 3 – A Bola 6

Entrou bem, deu mais critério à posse de bola e fez boa circulação. E no lance do livre indirecto concretizou em golo um lance mais difícil do que parece. Dois jogos contra equipas de topo na Champions, dois golos. Nada mau.

Joel Campbell – Record 2 – A Bola 5

Trouxe mais velocidade à esquerda, e alguma pressão. Mas ainda longe da pressão que o vi fazer noutros clubes ainda, e alguma lentidão em saber como decidir bem.

André Filipe – Record 1 – A Bola —

Entrou com fome de golo, e falhou por pouco o desvio ao cruzamento remate de Gélson. Teve vontade mas pouco tempo em campo.

Trincão é a imagem de uma equipa perdida.

0
Estou completamente farto de Francisco Trincão. Um jogador deambula entre a vontade de fazer mais uma fintazinha para o Youtube e o poder de...

Rúben Amorim e o que começa a parecer a história de Paulo Bento

1
Há uns dias, após a vergonha passada frente ao Marselha em Alvalade, estive para fazer um texto a comparar Paulo Bento e Rúben Amorim....

O que dizer do fim do Futebol de Praia do Sporting?

1
Lembro-me bem dos grandes jogos de Futebol de Praia que nos agarravam à televisão no final dos anos 90, e início da década de...
mercado de transferências

O que tem de ser feito até ao fim do mercado para ainda sonhar?

O jogo do passado sábado terá de ser visto para toda a equipa técnica e directiva como um enorme abre olhos. O Sporting precisa...

O que se passou ontem com Rúben Amorim?

0
Gosto muito de Rúben Amorim, e é o melhor treinador que já vi treinar o Sporting.  A forma que pegou na equipa sem medo, de...

1 COMENTÁRIO

  1. Não concordo com as apreciações a todos os jogadores:
    – Marvin: a diferença face a Schelloto é que este tem à sua frente quem coloque em sentido os adversários deste lado e que ajuda a defender. Houvesse um Gélson do lado esquerdo e teria a vida facilitada;
    – Elias: o muito espaço no meio campo para os médios do Dortmund subirem deve-se ao facto de ter ficado demasiado recuado ao lado de William (e William joga pior assim). Não é Adrien que se posiciona mais acima e arrasta a equipa com ele;
    – Markovic: não concordo nada que tivesse sido o homem mais defendido, mas sim o homem que mais se deixou defender. Comparo com Gélson: este em 5 lances, cria perigo em 4 e ainda inventa outro, Markovic em 5 lances, estraga 4 sempre pela mesma má decisão que é agarrar-se à bola e nunca a soltar. Portanto não acho que seja zero, é negativo porque apenas contribui para as recuperações de bola adversárias (ficando depois a pedir faltas e batatinhas). E em termos defensivos, é absolutamente inócuo. A derrota começou aqui e no Bruno César no banco. Não tem intensidade defensiva, e ofensivamente é um desastre (e está a demorar a entrar com todas as oportunidades que já teve). De resto, se virem as imagens, Bas Dost que é bem mais pesado do que ele, pressionou sempre mais e correu sempre mais. A carreira está a ir para o buraco, e percebe-se porquê.
    – Campbell: vale a pena estar na equipa? Um golo contra o Moreirense, fora isso uma série de exibições asininas. Está a tapar o lugar ao Matheus Pereira, ao Iuri e a outros que são da casa e, pelo menos, não fariam pior;
    – André: fez mais em 5 minutos que Campbell e Markovic juntos em todo o tempo somado. E não estraga lances, mesmo que não os aproveite.

    Insisto: a equipa perdeu o jogo na convocatória. Markovic não tem demonstrado (e não me lixem com o golo contra o Famalicão!) nada que justifique ser titular, muito menos para sentar o Bruno César.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site utiliza cookies. Mais informação

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.

Fechar