Segunda-feira, Dezembro 5, 2022
InícioNotíciasSerá que não sou escumalha e por isso pude entrar calçado?

Será que não sou escumalha e por isso pude entrar calçado?

Com jogo marcado às 17:55 complica a vida de quem trabalha e tenta chegar a tempo para ver o nosso Sporting. Estaciono a correr, depois de umas quantas tentativas falhadas, e quando vou a pé até ao estádio começo a receber uma chuva de mensagens no telemóvel dizendo que toda a gente esta a demorar a entrar por causa de uma inusitada revista.

Segundo as mensagens que me enviaram, e os vídeos que foram surgindo, estava a ser feita revista ao calçado de todos os adeptos, obrigando homens mulheres e crianças a descalçarem-se. Estranhei, mas lá me fui preparando para colocar os pés naquele cimento tudo menos acolhedor e higiénico.

Chego à fila, que até estava a andar bem, cheguei ao pé da polícia e nem revistado fui. Nem eu nem a maioria dos que estavam na mesma fila. Ao lado na porta 5 no entanto o cenário era diferente. Fila gigantesca, revista pessoa a pessoa, cheguei a ver perigosas senhoras de 60 anos e metro e meio mal medido a serem obrigadas a descalçarem-se. O seu crime? Estarem numa porta de escumalha.

Fui ter com a segurança depois de passar o controlo e perguntei porque estava aquela confusão. Disseram-me que não podiam comentar, e quando insisti disseram para se quisesse fosse falar com a polícia. Não o fiz, até porque já tinha ouvido de pessoas de confiança que a resposta deles na porta cinco estava a ser que tinham ordens para tal.

Subi até ao meu lugar bem lá na bancada B, que pelos vistos já me tira da escumalha mesmo não sendo um dos lugares mais caros, e podia ter ficado com aquela sensação de alívio a pensar que ao menos não foi comigo.

Lembrei-me então das palavras do sábio pastor luterano Martin Niemöller:

Quando os nazistas levaram os comunistas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era comunista. Quando eles prenderam os sociais-democratas, eu calei-me, porque, afinal, eu não era social-democrata. Quando eles levaram os sindicalistas, eu não protestei, porque, afinal, eu não era sindicalista. Quando levaram os judeus, eu não protestei, porque, afinal, eu não era judeu. Quando eles me levaram, não havia mais quem protestasse.

Martin Niemöller

Se houvesse este tipo de controlo indiscriminado a todos os adeptos de todos os sectores do estádio, desde a curva até aos camarotes, aceitaria o discurso da segurança, e acataria o mesmo, ainda que relutante.

Quando vejo sócios do Sporting a serem discriminados pela sua colocação no estádio não posso aceitar. E não me venham com a história de ofensas passadas. O Estádio tem CCTV e pode usar a mesma. Usem-nas e revistem os ofensores.

Nos últimos jogos nem sequer houve intervenção de segurança aquando do arremesso de tochas naquela bancada. É interessante para alguém toda a narrativa que montaram e que está ainda a mantê-los no lugar.

Agora ver que numa semana em que até as claques tinham declarado tréguas e apoio incondicional, e até se fizeram ouvir e bem em apoio até no hóquei em Itália apenas mostra uma provocação, e um desespero em manter uma guerra que ainda faz alguns sectores apoiar esta direcção, que cada vez mais se aproxima de se tornar a pior de sempre da história do clube.

Não aceitarei que limitem as liberdades de Sportinguistas, e que os cataloguem e tratem como Sportinguistas de primeira e de segunda. Este não é o meu Sporting. Este não é o Sporting Clube de Portugal, em que se tenta calar os sócios, ignorar os estatutos e se descriminam Sportinguistas.

Trincão é a imagem de uma equipa perdida.

1
Estou completamente farto de Francisco Trincão. Um jogador deambula entre a vontade de fazer mais uma fintazinha para o Youtube e o poder de...

Rúben Amorim e o que começa a parecer a história de Paulo Bento

1
Há uns dias, após a vergonha passada frente ao Marselha em Alvalade, estive para fazer um texto a comparar Paulo Bento e Rúben Amorim....

O que dizer do fim do Futebol de Praia do Sporting?

1
Lembro-me bem dos grandes jogos de Futebol de Praia que nos agarravam à televisão no final dos anos 90, e início da década de...
mercado de transferências

O que tem de ser feito até ao fim do mercado para ainda sonhar?

O jogo do passado sábado terá de ser visto para toda a equipa técnica e directiva como um enorme abre olhos. O Sporting precisa...

O que se passou ontem com Rúben Amorim?

0
Gosto muito de Rúben Amorim, e é o melhor treinador que já vi treinar o Sporting.  A forma que pegou na equipa sem medo, de...

3 COMENTÁRIOS

  1. Lembrei-me então das palavras do sábio pastor luterano Martin Niemöller:

    QUANDO OS Nazistas………
    Pois é mais ou menos isso k se passa no nosso seio. Divisões inesperadas. Mas está direcção desde o primeiro dia mostrou ao k vinha. Conduzida pelos energúmenos que compuseram aquela comissão de gestão, vermes como Sousa Cintra, Jaime Marta Soares e o presidente de que esqueci o nome não podia ser outra coisa. Entregaram se de mão beijada pedindo desculpa aos órgãos de comunicação social que hoje infelizmente não passam (quase) todos de paparazzi, sem qualquer tipo de deontologia jornalistica, apenas para se superiorizarem a direcção que derrubaram más sem qualquer sensibilidade e amor sportinguista. Eu no mesmo dia cancelei o meu cartão de sócio pois não me identifico com gente dessa. São as bases que têm que reerguer o Sporting para os valores da dignidade, que têm que escolher a guerrilha interna ou a união com o foco nos verdadeiros interesses do Sporting. Porque não greve ao próximo jogo para mostrar definitivamente que estes que la estão têm k sair e pedir desculpa?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site utiliza cookies. Mais informação

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.

Fechar