Ricciardi Godinho

No meio de tanta gente a dar opiniões sobre o Sporting, e a continuidade ou não desta direcção, existem algumas que tenho gostado de ouvir.

E nem é por estarem a ser a favor ou contra esta direcção ou Bruno de Carvalho especificamente. É mesmo por mostrarem que o Sporting não voltará a ser o Sporting das decisões estranhas de certos grupinhos, que alguns pensam que conseguirão restaurar.

Querem um exemplo de um tipo que não tem a mínima noção da sua importância? José Maria Ricciardi, que durante anos e anos andou em jantarinhos, grupinhos a escolher presidentes para o Sporting, até a receber Figo na estância de neve de Courchevel (a memória de muitos é curta) para decidir se o apoiava, e que depois veio integrar a comissão de honra de Bruno de Carvalho para lhe dar o abraço da jibóia como hoje é público, continua a emitir opiniões como se fosse dono do clube ou como se os sportinguistas se revissem nele e o adorassem. Não, homem, alguém que o avise que é odiado, que o Sporting é dos sócios e não de uma Cúpula e que se está tudo marimbando para o que o Ricciardi pensa e quer. Se continuar a achar-se importante no Sporting, só posso pensar que ele está como dezenas de Napoleões Bonaparte que vivem em manicómios.

Concordo a cem por cento com Rui Calafate nisto que escreveu, e acredito que a grande maioria dos Sportinguistas também.

2 COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.