Segunda-feira, Novembro 28, 2022
InícioNotíciasOs 3 vectores do problema de fundo do Futebol Português

Os 3 vectores do problema de fundo do Futebol Português

Este texto foi um comentário originalmente submetido por um leitor.

Devido à qualidade dos seus argumentos e da forma com que os expôs resolvi entrar em contacto com ele de forma a passar para um artigo com o texto na integra. 

Vale a pena ler.

O problema de fundo, Sporting Com Filtro, é composto de 3 vectores:
arbitragens FRACAS, do que decorrem resultados FALSOS, ENGANADORES. Adicionalmente, a sensação de impunidade de quem manda (o tal “clube” que tudo controla + os seus clubes amigos como o SC Braga+Vit. Setubal, etc) e pratica corrupção aumenta o problema de forma exponencial;

bilhetes demasiado caros para a realidade de 80% da população

– estádios (na sua maioria) sem condições adequadas. Nada consegue competir com o conforto e segurança de assistir a jogos de futebol a partir de casa ou de um café – e muito menos estádios com condições impróprias (vento, chuva, sujidade, o perigo de certas claques, a desorganização dos supostos “stewarts”, etc, etc). Acresce ainda que, tirando o Alvalade XXI, o Dragão, a estrutura da Luz, o Estadio do Algarve, o de Aveiro e os de Braga e Guimarães, os restantes estádios não oferecem lotações capazes de competir com as lotações noutros países do “primeiro mundo”.

Para muitos de nós é óbvio: o principal problema é a falta de verdade no futebol português; o compadrio, as jogadas de bastidores com jogadores “carregados” que não podem jogar contra um certo “clube”, ou são comprados oportunamente para fazer o favor aos “amigos”; a dança dos treinadores (muitos, os mesmos de sempre) pela mão de empresários que controlam quase todos os clubes; as polémicas devido a suspeitas de corrupção (vouchers, “jogadores carregados”, “jogo da mala” e jogadores em transito como forma de pagamento de favores).

Terá de haver uma limpeza geral:

  • Dirigentes como os que dirigem o “clube” do Polvo, os dirigentes do SC Braga, os dirigentes do Arouca – a vassourada devia começar por aí
  • Dirigentes da arbitragem (os tais com ligações ao, ou formados pelo, poder instituído: slb)
  • Dirigentes da Liga e da Federação PF
  • Ligações perniciosas entre certos Grupos de Com. Social e o clube detrás da Mafia Vermelha
  • Árbitros: os que foram “formados” pelo Polvo, rua; os que se deixam pressionar com vouchers e dinheiro, rua; os que foram ameaçados devem ser amparados, protegidos sempre que a ameaça for real

Em vários países, para proteger o desporto, tomaram-se medidas anti-corrupção, anti-violencia, anti-dopagem. Nada é perfeito e nem tudo se resolve a 100%, mas em muitos casos houve um regresso a uma competição menos impura, menos corrupta e menos corruptível.

No caso português terá de haver uma figura como Margaret Thatcher (que proibiu durante vários anos os clubes ingleses de participar em competições europeias) para dar um murro na mesa e limpar a porcaria.

Com o “clube” do Polvo Vermelho na 3a Divisão (corrupção/lavagem de dinheiro/incumprimentos financeiros vários/associação à Doyen), nenhum outro clube se atreveria a avançar em terrenos pantanosos (corrupção, manipulação de resultados, “transito” de jogadores, ligações a agentes desportivos que já causaram a descida de divisão de clubes noutros países).

Esse seria também um sinal fortíssimo para haver uma maior aposta nos estádios, nos serviços aos clubes, na segurança, nas relações publicas. Mais Verdade, mais Emprego, maiores assistências. E, com um pouco de sorte, Portugal a competir com outras Ligas, e Portugal a ser encarado como sério candidato à coroa do Campeonato do Mundo de Futebol.

Caso tenham algo a dizer que pensem que daria um bom artigo não hesitem em enviar para sportingcomfiltro@gmail.com

Trincão é a imagem de uma equipa perdida.

0
Estou completamente farto de Francisco Trincão. Um jogador deambula entre a vontade de fazer mais uma fintazinha para o Youtube e o poder de...

Rúben Amorim e o que começa a parecer a história de Paulo Bento

1
Há uns dias, após a vergonha passada frente ao Marselha em Alvalade, estive para fazer um texto a comparar Paulo Bento e Rúben Amorim....

O que dizer do fim do Futebol de Praia do Sporting?

1
Lembro-me bem dos grandes jogos de Futebol de Praia que nos agarravam à televisão no final dos anos 90, e início da década de...
mercado de transferências

O que tem de ser feito até ao fim do mercado para ainda sonhar?

O jogo do passado sábado terá de ser visto para toda a equipa técnica e directiva como um enorme abre olhos. O Sporting precisa...

O que se passou ontem com Rúben Amorim?

0
Gosto muito de Rúben Amorim, e é o melhor treinador que já vi treinar o Sporting.  A forma que pegou na equipa sem medo, de...

5 COMENTÁRIOS

  1. “Margaret Thatcher (que proibiu durante vários anos os clubes ingleses de participar em competições europeias)”

    Quem proibiu foi a UEFA, não a Tatcher, ela simplesmente não fez nada contra isso…

  2. Thatcher, não Tatcher.

    Você não sabe a historia toda ou está mal informado, Frederico (a sua preferência “clubistica” força-o a ler o que aqui foi publicado…e tentar uma mal concebida critica).

    Vamos lá a factos (faça o senhor o favor de visitar os arquivos do Mirror, Guardian e outros):

    – no dia 29 de Maio de 1985 ocorre a Tragédia de Heysel.

    – pouco mais de 44 horas depois, após ondas de indignação e criticas se terem abatido sobre a nação britânica, e o futebol inglês em especial, Margaret Thatcher tinha já ordenado -solicitado, disseram, mas equivalia a uma exigência da Dama de Ferro- à FA (English Football Association) que BANISSE todas as equipas inglesas de todo e qualquer jogo europeu.

    – são revelados planos do Governo britânico para combater o que se classificava na altura como “crowd violence”. Infelizmente, as medidas tomadas mais tarde acabaram por afrouxar ligeiramente e as autoridades foram incapazes de impedir o Desastre de Hillsborough (em 1989).

    – apesar de virem a publico detalhes da deficiencia da segurança belga em redor e no estado, o Home Office negou-se a minimizar a responsabilidade dos adeptos ingleses (ao invés do que tem sucedido com os desacatos sucessivos dos adeptos do slb, adeptos a quem TUDO tem sido desculpado).

    – 2 dias mais tarde das “ordens” de Thatcher à FA para banir clubes ingleses, a UEFA antecipou-se à formalização da proibição (interna) exigida pela Primeiro-Ministro inglesa; a UEFA decretou que os clubes ingleses seriam banidos por período indeterminado.

    – dias depois foi a vez da FIFA a dilatar a sanção para encontros a nivel mundial. E sim, isto foi atenuado dias depois.

    Informe-se primeiro antes de escrever. Dizer que Thatcher (a primeira a reagir com uma exigência formal à toda-poderosa FA) nada fez é de néscios (nescio é o.m.q. estúpido, ignorante, meu caro).

  3. Não costumo comentar, mas vejo sempre as tuas crónicas, umas vezes mais azedo, outras mais calmo, etc… mas este teu tópico revejo-me totalmente nele, enquanto não houver limpeza (será que alguma vez haverá?) isto vai continuar, e continuar, e continuar… vira o disco e toca o mesmo, farto, mas mesmo farto de ver e assistir a muitas impunidades neste pequeno país. Mas parabéns pelo tópico, muito bom, e recomenda-se a todos a leitura. 🙂

  4. Carissímo mikemargarido

    Agrada-me muito que comece por me corrigir por um erro seu, continue por “intuir” a minha preferência clubística sem que eu tenha nada escrito nesse sentido e termine com insultos!

    É por essas e por outras que eu muito raramente comento em blogues e pelos vistos assim devo continuar porque não tenho pachorra para gente mal educada.

  5. “Caro” Frederico,

    repito: dizer que a Dama de Ferro nada fez é de nescios.

    A primeiro-ministro inglesa tomou a decisão de banir os clubes ingleses de competições europeias (o que foi transmitido algumas horas depois da tragédia à FA), o que era o foco do texto original.

    Se a UEFA e FIFA o determinaram depois a nível das competições internacionais é IRRELEVANTE no contexto do texto original. A primeiro decisão foi de Thatcher, o que veio a seguir é irrelevante.

    Como não leu o texto, perdeu o seu tempo a criticar algo que não compreendia, algo que o senhor ignorava. Se tivesse lido o texto, teria percebido o que se pretendia, e o contexto da decisão de Thatcher.

    Quanto a um qualquer insulto…Isto é, de facto, a confirmação da minha suspeita. O comportamento típico dos adeptos e dirigentes do Polvo Vermelho é usar tácticas rasteiras, vergonhosas, e recorrer ao insulto e à mentira com frequência. Quando alguém, FINALMENTE, decide dar-vos um pequeníssimo troco, lá vêm gritar e chorar que os outros são ofensivos. Comportamento ridículo de “virgens” ofendidas, tal como aconteceu no “barda*****” do presidente do Sporting Bruno de Carvalho.

    Sugiro que se alegre, isso sim, com os 14 jogos que Pizzi tem usado para fazer faltas violentas e proceder a duas agressões…e nunca ter recebido nem um amarelo.

    Sugiro que se alegre com o contorcionismo que a FPF executou para dar uma ajuda de milhões ao clube falido de Carnide.

    E um conselho: leia os textos e critique de forma honesta o seu conteúdo. Não ler os textos e decidir atacar o que não é relevante (e ainda por cima, sem razão), é desonesto e, como tal, mal educado. Todos podemos evoluir, e os benfiquistas não precisam de imitar o que pessoais sem moral nem princípios (A. Ventura, H. Gil, P. Guerra, RGdS, C. Janela) fazem diariamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site utiliza cookies. Mais informação

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.

Fechar