Marcos Acuña é um daqueles jogadores que apesar de ter custado muito dinheiro ao Sporting na sua contratação dificilmente diria que foi caro. Dotado de alguma técnica tem na sua raça e pulmão uma enorme arma que usa sempre em defesa do clube até ao limite.

No entanto fica sempre a questão, onde é mais útil?

A extremo tem mais liberdade para cruzar, a sua grande arma. Mesmo faltando por vezes a criatividade e drible para ganhar mais vezes a linha.

Jogando a lateral tem mais facilidade em embalar e enfrenta mais extremos e menos defesas o que ajuda na progressão. Mas mesmo que a sua raça ajude a defender falta por vezes mais acerto táctico na posição.

Alternativamente jogando no centro do meio campo a sua energia, capacidade de trabalho e progressão com bola são excelentes características, mas deixa de surgir em posições para centrar que são a sua melhor arma.

Dados whoscored.com

Esta temporada tem nosso especialmente a lateral e os números refletem isso mesmo. Os jogos ao centro do terreno não foram tão bons estatisticamente e do que me lembro deles também não são grandes memórias.

Os poucos que fez nas alas ofensivas foram de resto o melhor até agora. Claro que enquanto não havia um lateral decente para jogar Acuña seria para mim o dono do lugar. A chegada de Borja tem vindo a mudar a minha opinião.

O voluntarismo ofensivo de Borja é bem compensado pela disponibilidade de Acuña ajudar a defender. Ao mesmo tempo ao haver mais um “cavalo”no corredor esquerdo da mais espaço a Acuña puder surgir para cruzar.

A minha opinião sobre onde deve jogar Acuña vai mudando regularmente, mas neste momento acho que na externa esquerda é o seu lugar e dele podem surgir os cruzamentos que tragam Bas Dost de volta aos golos.

Mas o que é certo é que ter um jogador como Acuña que pode ser titular com qualidade em pelo menos três lugares é sempre uma vantagem para qualquer plantel.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.