Ivo Vieira

Lembro-me bem do jogo entre o Sporting e o Estoril de há umas semanas. Uma derrota que nos ficou atravessada na garganta frente a uma equipa com uma agressividade positiva extraordinária.

Uma disposição fora de série para ir atrás de cada bola, meter sempre o pé, e fazer tudo para impedir o Sporting de sair vencedor.

Aliado a isso um guarda redes Renan que parecia uma parede. Intransponível. O mesmo que ontem frente ao Porto no entanto fica muito mal na fotografia. Vejam por exemplo o terceiro golo.

Nem parece o mesmo guarda redes certo?

Mas tal foi a falta de agressividade nessa noite que no fim do jogo o seu Treinador Ivo Vieira teve de o admitir.

A responsabilidade é minha mas os jogadores são aqueles que desfrutam no campo e que têm de dar mais. Uma coisa é perder sendo competente e oferecendo dificuldades ao adversário, dando o seu máximo, mas com um comportamento destes temos de parar para refletir sobre aquilo que foi o nosso comportamento.

[…]Não fomos intensos, não metemos o pé, não ganhámos primeiras bolas, também não ganhámos segundas bolas, jogámos muito atrás, não atacámos a bola, fomos muito frágeis nas bolas paradas. A nossa equipa não é isto.

[…] Os jogadores tem de perceber aquilo que fizeram e se quiserem no futuro caminhar em termos profissionais no futebol têm que apelar à sua consciência e perceber se realmente este é o comportamento adequado. Perder por mérito, tudo bem. Mas nós quase que não disputávamos a bola.

Tudo dito certo? Claramente que Ivo Vieira não recebeu nenhuma Mala Azul no fim deste jogo. Mas depois de ver o mesmo, e ouvir estas declarações, não sei se não houve no Estoril quem a tivesse ganho…

Isto a juntar ao golo em fora de jogo, torna tudo muito mais complicado para quem vencer honestamente. E é daqueles jogos em que se houvesse uma denúncia ao Ministério Público, com estas declarações e o visionamento desta segunda parte, de certeza seria pelo menos investigado.

2 COMENTÁRIOS

  1. Como benfiquista não vou naquelas conversas de “o meu clube é limpinho e o outro é que é mau”, até porque no mundo do futebol, que involve muitos interesses e poder financeiro, é óbvio que existem jogos de bastidores, influências, pressões, etc; tudo isso para dar resposta a situações ligadas ao negócio do futebol mas também a outros negócios que dele beneficiam, seja o das apostas, seja o de outra coisa qualquer. Muitas vezes o futebol paga favores de imobiliária, justiça, banc… e camufla muitas outras coisas.
    Em Portugal o futebol reflete a forma como o próprio Estado funciona: corruptamente.
    Quanto ao Sporting, clube com um peso e uma história indubitáveis, há anos que defendo que tem de acordar, que tem de agitar. Contra isso nada.
    O que não entendo é que façam aliança, orelhas moucas e olhos tapados, com o Porto, clube cujas ligações ao crime são conhecidas e antigas. Acham mesmo que eles se livraram porque eram inocentes?
    Não eram e não são nem o serão.
    Nem acredito que alguém seja, sinceramente. Há apenas lutas pelo poder porque o tacho é pouco num paîs com um campeonato fraco mas onde alguns querem manter o estatuto de europeus e de poder de compra.

    Sou portuense e aqui sabemos na rua o que não se sabe nos jornais.
    Adoro o meu clube mas não sou anti-ninguém. Mas também não acredito no ral futebol transparente.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.