A história dos zero ídolos tem algum sentido mas no fim do dia todos queremos tê-los.

Claro que o passado recente, ou deverei dizer presente, coloca algumas dúvidas a todos. Mas especialmente para os mais novos.

É isso que Nani também traz, segurança que provavelmente não irá cuspir no prato que o alimentou.

Isto ao mesmo tempo que o segundo melhor jogador português da geração que venceu o Europeu de 2016 regressa à sua casa.

Dele aceitaria fazer uma camisola com o seu nome. Com ele quero tirar uma selfie. Nani é mesmo Sporting!

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.