Domingo, Fevereiro 5, 2023
InícioHonrar quem nos serviu bemDos Fraques é que reza a História - João Azevedo - O...

Dos Fraques é que reza a História – João Azevedo – O Sexto Violino

O “Hércules do Barreiro” nasceu a 10/07/1915 e chegou ao Sporting em 1935, com 20 anos.

Estreou-se num jogo com o Boavista, em 1936, mas foi mais tarde, nesse mesmo ano, num jogo nas Salésias frente ao Belenenses que, aproveitando a lesão do titular, Artur Dyson, fez uma portentosa exibição e assegurou a vitória verde e branca para nunca mais deixar as balizas sportinguistas, vindo a tornar-se no jogador do Sporting com mais jogos disputados e mais títulos conquistados da história do clube (21 títulos e 461 jogos).

João Azevedo é o protótipo da longa linhagem de guarda-redes leoninos que engrandece a história do futebol português de que Rui Patrício é o mais recente exemplo: ágil entre os postes, destemido nas saídas, capaz de se sacrificar pela equipa, um líder dentro de campo.

Capitão de Equipa e Herói Leonino

Aquando da saída do grande capitão, Álvaro Cardoso, foi a ele que a braçadeira foi transmitida. Será sempre recordado como o guarda-redes da famosa equipa dos cinco violinos, o “Tigre português”, como foi apelidado pela imprensa espanhola da época. Jogava habitualmente de equipamento escuro e ainda hoje devia ser obrigatória esta apresentação de todos os guarda-redes do Sporting.

Ficou célebre uma tarde de glória na final do campeonato de Lisboa, contra o eterno rival, em que depois de ter partido a clavícula, regressou ao campo na 2.ª parte, de braço ao peito, quando o resultado estava em 1-1.

O Sporting ganhou esse jogo por 3-1 e Azevedo saiu carregado em ombros pelos companheiros.

Foi também internacional pela selecção das quinas por 19 vezes, tendo feito parte da equipa que venceu pela primeira vez a congénere espanhola.

Faleceu em 1994, com 79 anos e se há um atleta que merecia uma estátua no Estádio José Alvalade, é ele.

Trincão é a imagem de uma equipa perdida.

1
Estou completamente farto de Francisco Trincão. Um jogador deambula entre a vontade de fazer mais uma fintazinha para o Youtube e o poder de...

Rúben Amorim e o que começa a parecer a história de Paulo Bento

1
Há uns dias, após a vergonha passada frente ao Marselha em Alvalade, estive para fazer um texto a comparar Paulo Bento e Rúben Amorim....

O que dizer do fim do Futebol de Praia do Sporting?

1
Lembro-me bem dos grandes jogos de Futebol de Praia que nos agarravam à televisão no final dos anos 90, e início da década de...
mercado de transferências

O que tem de ser feito até ao fim do mercado para ainda sonhar?

O jogo do passado sábado terá de ser visto para toda a equipa técnica e directiva como um enorme abre olhos. O Sporting precisa...

O que se passou ontem com Rúben Amorim?

0
Gosto muito de Rúben Amorim, e é o melhor treinador que já vi treinar o Sporting.  A forma que pegou na equipa sem medo, de...

1 COMENTÁRIO

  1. Caros amigos, tenho apreciado muitos dos vossos posts. Gosto sobremaneira daqueles que nos contam a história do Sporting como este do João Azevedo. Costumo “coleccioná-los” para mais tarde recordar. Pergunto-vos, não seria possível a vossa página incluir um botão para gerar um documento em pdf para poder ser arquivado? Muitas páginas já apresentam essa opção.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site utiliza cookies. Mais informação

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços, para personalizar anúncios e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.

Fechar