Demasiado fumo nas últimas horas sobre um suposto empréstimo de Matheus Pereira. Já por várias vezes me manifestei contra repetir o empréstimo do jogador que até acho poder vir a ser dos melhores esta temporada no Sporting.

Mas a acontecer ao menos que se tenha cuidado em não fazer nenhum dos três erros que nesta fase podem fazer uma má ideia se transformar num péssimo negócio.

Emprestar a um clube nacional

Nesta fase há poucos clubes nacionais que possam dar algo no desenvolvimento de Matheus Pereira. Provavelmente mesmo apenas o Braga, tirando Porto e Benfica.

Logo caso se empreste a um clube nacional ou vamos estar a fortalecer equipas que não queremos fortalecer, ou por outro lado emprestar um jogador que irá ganhar pouco com essa experiência. Ou seja um erro que espero que não se cometa.

Emprestar sem cláusula de retorno em Janeiro

Acho que Matheus Pereira faz falta no plantel. Mais acho que o ano passado provavelmente deveria ter regressado em Janeiro após a saída de Iuri Medeiros.

Como tal, e mesmo sabendo que os clubes não gostam disso, obrigaria a qualquer clube que receba por empréstimo Matheus Pereira a ter uma cláusula que nos permita de forma barata repescar o jogador já em Janeiro.

Emprestar com cláusula de compra realista

Em casos de empréstimo é cada dia mais comum a cláusula de compra. Se for emprestado para o estrangeiro acredito que provavelmente façam colocar uma cláusula desse estilo.

Agora uma cláusula dessas para um jogador deste potencial tem de ser claramente inflacionada, para não ficarmos de calças na mão logo de seguida. Uma cláusula de 10 ou 15 milhões aqui é um risco evidente.

Querem cláusulas dessas, aceitável, mas nunca por menos de 30 ou 40 milhões de euros neste mercado maluco.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.