Ontem foi dia de Liga dos Campeões em todo o seu esplendor. Um estádio com muita gente, duas boas equipas, e um grande jogo.

Para começar, e para mostrar que não nos esquecemos do que se passou há duas semanas. Uma gigante assobiadela durante todo o hino da Liga dos Campeões. Simples prático e eficaz. Um protesto bem pensado e executado.

Pontos Positivos

Primeiro que tudo das alterações de Marco Silva. Não sei se as teria feito, mas reconheço que funcionaram na perfeição. Sarr esteve melhor que Maurício tem estado. Mas essa foi a substituição “obrigatória” por castigo do brasileiro.

Já Jefferson e Carlos Mané entraram puramente por opção técnica. O primeiro marcou um golo, assistiu para outro, e defensivamente esteve bastante certeiro. O que posso pedir mais?

Carlos Mané fez o primeiro jogo muito bom da época. Entrou cheio de garra e vontade de mostrar o potencial que lhe reconhecemos. Foi uma constante dor de cabeça para a defesa germânica. Podia ter marcado, mas infelizmente falhou. Mas fez uma exibição de encher olho.

Todo o meio campo fez um jogo brilhante. O trabalho de Adrien e William, e depois Rosell, foi impressionante. William ainda não fez tanto como  ano passado, mas não deixa de ter feito um trabalho muito positivo.

E claro João Mário. Também trabalhou muito. Mas o que mais impressiona é a quantidade de talento que este miudo tem. Ténica, visão de jogo e uma capacidade brutal de controlar os espaços. Este é daqueles que não engana.

Que luxo termos este meio campo, e todo da academia!

Cédric fez um jogo monumental de novo. Cada vez mais maduro, cada vez melhor. E uma coisa bem gira, os extremos quando estão a atacar pelo lado onde Cédric está parece que rendem mais.

A entrada de Carrillo foi brutal! O que o banco faz a alguns jogadores é magnifico. Deu velocidade e ainda mais alegria a cada jogada onde participava. E o lance do terceiro golo é de puro génio. Mané ou Carrillo… Boa dor de cabeça para Marco Silva para o próximo jogo.

Slimani foi a nossa torre no ataque. Serviu para fixar defesas, pressionar defesas e meio campo, e ao mesmo tempo desgastar todos estes. O bom jogo de todas as nossas unidades de ataque é muito também devido ao espaço que ele criou. Foi infeliz ao marcar um auto golo. Acontece. O golo que marcou no entanto deu-me uma alegria enorme. Para quem dizem ser lento e tosco, bem que correu e finalizou.

Rui Patrício é enorme. Não tem culpa nos golos, mas a saída que faz aos pés do avançado do Shalke é como se fosse um golo nosso. Nesse momento senti que a vitória não nos escaparia. É um guarda redes de topo, e que nos rende montes de pontos por época. Quem não o vê, percebe pouco de futebol.

Poderia dizer que Nani foi genial. Mas seria um erro. Nani é genial. Bem mais correcto. Já me faltam adjectivos para o qualificar. E ver que apesar de tudo o que faz sozinho, ainda trabalha para o grupo e tenta ser sempre mais um na equipa só lhe dá respeito. Neste estado de forma posso dizer que é dos melhores jogadores que já vi jogar com a nossa camisola. E isto é dizer muito.

Pontos Negativos

Entrar a perder, por causa de uma falta completamente desnecessária é mau.

A insegurança que Paulo Oliveira revelou após falhar um passe também é um ponto negativo. Continuo a defender que é o nosso melhor central, mas a partir desse momento este demasiado nervoso.

Conclusão

Mais um jogo em que entramos a perder, e contra uma equipa forte, e que conseguimos virar o resultado.

Isto mostra inteligência do treinador, equipa coesa e forte. Este Sporting pode fazer muitas coisas bonitas. E até agora em todos os jogos mais difíceis estiveram à sua altura.

Ontem saí do estádio com um enorme orgulho, e feliz pelo que vi. Foi dos dias em que o nosso lema fez todo o sentido.

Esforço, dedicação, devoção e glória: Eis o Sporting!

Deixar uma resposta