Que Marco Silva é um verdadeiro artista a sacudir a água do capote, enquanto se engrandece junto da imprensa, já todos sabemos. Outra coisa que já se conhecia era o seu gosto pelas meias verdades e pelas mentiras. Mas hoje descobrimos outra faceta, a de usurpador de vitórias alheias.

Vamos no entanto por partes, e começar por dissecar a mentira, ou meia verdade. Para tal comecemos por ler esta parte da entrevista.

ms_entrevista

Reparem bem no último parágrafo. Dá a entender, como é seu jeito sem nunca dizer claramente, que os jogadores não foram escolhidos por ele, e que não prestavam. Mais, que os únicos que prestavam eram Paulo Oliveira, e Jonathan Silva.

Mas Marco deve pensar que ninguém tem memória. É que ele avalia tão bem jogadores, que se fosse ele a escolher nunca teria vindo Paulo Oliveira. Sim, porque para Marco Silva Naby Sarr e Ramy Rabia eram melhores jogadores, vendo claramente as convocatórias que fez no inicio da época até ser obrigado a usar Paulo Oliveira.

A Usurpação

Outro facto interessante é a sua colocação como o mestre que levou Adrien, Cédric, João Mário e Paulo Oliveira à selecção. Todos estes jogadores já tinham sido pré-convocados à selecção principal antes de conhecerem Marco Silva. Todos tinham tido carreiras de elevado sucesso nas selecções jovens, e como tal era só uma questão de tempo até chegarem à selecção.

E mais, tirando Paulo Oliveira, todos tinham inclusive já sido convocados. E todos os que o tinham sido como jogadores do Sporting tinham estado em melhor forma no tempo de Leonardo Jardim do que no tempo de Marco Silva, em que pareciam ter regredido. Felizmente se volta a notar evolução com o novo treinador.

A Boa Imprensa de Marco Silva

Mas o mais interessante nesta entrevista é o tom de amizade e cordialidade com o jornalista. Jornalista este que sempre esteve na linha da frente no ataque a Bruno de Carvalho durante a temporada passada. E que não fez nenhuma pergunta complicada a Marco Silva, nem se este tinha tido contactos com as direcções do Porto ou Benfica. Nem sequer a sua predilecção por utilizar jogadores da Pro-Eleven, que também representa, mesmo quando estavam em clara baixa de forma.

Se calhar esta entrevista explica bem quem era o Bufo em Alvalade…

Deixar uma resposta