Um dos assuntos que os nossos caros jornaleiros mais têm propagado nos últimos tempos é a contratação de um central para o Sporting.

Nomes não param de surgir de todas as proveniências, desde os Balcãs à América do Sul passando mesmo pelo Egipto. Mas será que o Sporting precisa mesmo de um central?

Quem será titular no centro?

Para começar a dupla titular na época passada mantém-se contratualmente ligada ao Sporting, e por vários anos. Claro que não sou indiferente à possível saída de Rojo depois da valorização no mundial, mas também não a dou como certa.

E quem pode ficar com o lugar se alguém sair?

Bem antes de mais temos dois centrais já rodados na primeira liga e jovens. O Eric Dier, da nossa formação até, e Paulo Oliveira, jovem Português mas titular durante toda a época passada no Vitória de Guimarães.

O Dier está de saída!

Bem os jornais dizem que sim. E que fez birras para não renovar e tudo. Mas tendo em conta que continua a treinar, e agora a jogar, com a equipa principal, tendo a dizer que será mais uma mentira. Claro que se houver uma boa proposta poderá sair, mas mesmo assim continuamos com o Paulo Oliveira para assumir o lugar, ou ser o terceiro central.

E o quarto central, o jovem de recurso?

Este papel a época passada foi dado ao Rúben Semedo. Como não tivemos competições europeias acabou por ser pouco usado, mas é um jogador com potencial. Para melhorar ainda mais o cenário, temos agora a subida ao plantel principal de Tobias Figueiredo um jovem em quem se depositam muitas esperanças.

Então em que situações devemos comprar um central?

Se saírem dois jogadores de entre o Rojo, Dier e Maurício teremos de ir buscar um central já com alguma rodagem para ser ou o titular ou promover o Paulo e arranjar um novo terceiro central.

A outra hipótese é descobrir um excelente negócio de um jogador com alguma experiência mas ainda bastante novo e com grande margem de progressão e valorização.

Por muito que goste de apostar na formação tenho sempre de ter em atenção que grandes negócios não se devem deitar foram.

Mas daí até achar que precisamos de outro central como a imprensa toda acha vai uma larga distância.

Deixar uma resposta