Nesta fase do caso dos emails do Benfica, o denominado Apito Abençoado, ou Benficagate, há alguns factos que já são claros.

Em primeiro que os emails são reais. Depois dos esquecimentos de Pedro Guerra a suspeita foi elevada.

Mas depois Mário Figueiredo, presidente da Liga de Clubes acabou por confirmar a sua veracidade.

Neles, entre outras coisas mais difíceis de provar, fica clara como a água a intromissão da direcção do Benfica, na pessoa do seu Presidente, na nomeação de delegados da liga.

Também fica provado que existem alguns árbitros que têm as suas notas protegidas pelo Benfica, desde que ajam em seu benefício.

Artigo 65.º
Exercício e abuso de influência

O clube que, direta ou indiretamente, exerça ou abuse da sua influência, real ou suposta, junto de qualquer agente desportivo, representante, agente ou funcionário da Federação ou da Liga com o fim de obter comportamento ou decisão destinados a modificar ou falsear a veracidade e a autenticidade de documentos, procedimentos e deliberações, assim como o resultado ou desenvolvimento regular dos jogos das competições desportivas será punido com a sanção de descida de divisão e, acessoriamente, com a sanção de multa de montante a fixar entre o mínimo de 250 UC e o máximo de 1000 UC.

A parte então em que tentam modificar a nota de Manuel Mota, árbitro que constantemente beneficiou o Benfica, encontrasse provada, e comprovada.

Como tal a descida de divisão é inevitável.

No entanto existe um caminho que já evitou no passado a descida de divisão de Porto e Benfica no apito dourado. Quando Pinto da Costa foi apanhado a oferecer prendas a árbitros e Luís Filipe Vieira apanhado a escolher a seu belo prazer quem iria arbitrar os seus jogos.

Esse caminho é a classificação como ilegais as provas obtidas. Coisa que foi feita com sucesso por parte de Benfica e Porto no apito dourado.

No entanto os grandes serviços de email são obrigados por lei a guardar registos por parte das autoridades durante cinco anos.

Ou seja, mesmo que se considerem inválidas estas provas, podem ser pedidos de novo. Daí o pânico nas hostes encarnadas e o pedido de “apaguem tudo” que tanto se ouve por lá.

É que comprovadas as acusações como agora todos sabem, apenas lhes resta argumentos legalistas para tentar impedir a justiça de punir como devem ser punidos.

Mas neste momento pelo menos terão de ser afastados todos os delegados, observadores e os oito árbitros intervenientes para se poder começar a liga deste ano.

4 COMENTÁRIOS

  1. Não vamos atirar foguetes e muito menos querer que o benfica deixa de divisão. É que caso isso aconteça em termos legais basta os lampiões pedirem abertura de processos do apito dourado e do caso cardinal, e vamos fazer-lhes companhia na 2ª divisão.
    É que o apito dourado existiu existem provas de corrupção, as escutas foram consideradas ilegais (escutas telefónicas) , logo se os emails se não forem considerados ilegais as escutas também não o poderão ser (não entendo como os advogados do Porto não pensaram nisso, isso é o “AB” da advocacia, ridículo).
    No caso Cardinal existiu a intenção de intimidar e de condicionar a arbitragem, esta previsto na lei que dá descida de divisão (ainda para mais sendo um vice-presidente), não vamos mentir é óbvio que a interpretação dada da lei foi “manhosa” para que não descessemos de divisão (felizmente já temos algum poder, devemos isso ao Presidente Bruno Carvalho). Contudo em caso de abertura de um novo processo se algum clube já estiver na segunda divisão (benfica ou Porto) não temos hipótese nenhuma é impossível que dê para voltar a atirar areia para os olhos de um pais inteiro, se algum já estiver na segunda divisão, cada palavra de cada lei irá ser descortinada.
    Por isso prefiro que não desça ninguém ou iremos ter os 3 grandes a decidir quêm vence a “segunda liga Portuguesa”.

  2. JUSTICA SEJA FEITA.DAOA A QUEM DOER!
    Se o nosso Sporting tiver que descer,que desca!
    Mas o Benfica tem que descer,JA! A Justica faz-se atempadamente…logo tem de agir imediatamente.
    No caso do FCPorto duvido que o efeito seja retroactivo! De futuro, abram os olhos!

  3. Para os lampiões descerem ainda é preciso que apareça algo que mostre que não passaram de “pedidos de favores”. O ideal seria aparecer algo sobre dinheiro ou bens (casas, carros, viagens…), caso contrário é necessário provar que ouve uma grande interferência.
    Até agora era mais fácil descermos nós e o Porto num abrir e fechar de olhos.
    No caso do Porto como centenas de documentos não foram entregues em tribunal, esses podem ser julgados ainda. Basta uma reabertura de processo com nova queixa.
    O nosso caso sinceramente é o pior em termos jurídicos, em bom português tivemos uma óptima “cunha” e uma interpretação até “pitoresca” da lei existente por parte dos advogados do Sporting foram fantásticos, até tenho um colega de profissão que nas aulas que lecciona na Universidade ainda dá como exemplo aos alunos como é possível “interpretar as leis de outra maneira (ludibriando as leis e o próprio ministério da justiça)”. Não descemos de divisão por inteligência dos advogados, porque obviamente está prevista na lei a descida de divisão.

    Até agora em termos jurídicos o slb não tem nada para descer, e se vier a ter caso apareçam novos emails…. Duvido que no slb deixem passar em claro o apito dourado e o caso Cardinhal, iríamos os 3 para a segunda divisão.

  4. Do capo di tutti capi pouco se sabe de concreto. É tudo pela rama para não chamuscar, como convém aos seus soldati, sejam estes da guarda pretoriana, dos media ou mesmo dos poderes instituidos.
    Contudo, há deslizes, aliás como parece ser com os que tem vindo a lume últimamente, e que estão a preocupar o país e a sociedade em geral, não vá, desta vez, aparecer algo de concreto e não haver forma de salvar o status quo que a todos interessa manter.
    Agora, uma pequena (ou não) pérola, deixada escapar há dias por alguém que bem conhece o boss, desde miúdo. Relata o incauto capitão da areia que já nos idos anos 50, o arguto petiz se destacava entre a rapaziada do bairro, quando se tratava de arranjar uns cobres menos lícitos, nomeadamente quando, pelo lusco fusco, se entretinham a saltar os muros do Jaleco para ir surrupiar as moeditas escuras rejeitadas pelo pobre paquiderme, não tocando a mítica sineta.
    Claro que estamos a falar de miúdos, sem importância de maior, mas que, por um lado, já evidencia forte propensão para o sucesso, e por outro, demonstra que podemos um dia sair da favela, mas jamais conseguimos que a favela saia de nós.
    Saudações leoninas.

Deixar uma resposta