Marcos Acuña

Marcos Acuña é o novo reforço do Sporting. Considerado o melhor jogador do último campeonato argentino. Trás além disso o pedigree de ser internacional pela poderosa selecção Argentina.

Aos 25 anos é mais um jogador feito que um projecto de jogador. E a pergunta que fazem logo os adeptos é: o que traz de novo Marcos Acuña?

Médio ala e não um Extremo

Uma coisa que se houve logo dizer é que parece sempre estranho o Sporting, a melhor escola de extremos do mundo, contratar um extremo.

Isso na realidade passa muito pela definição de extremo em si, e que realmente não encaixa bem com Marcos Acuña.

Este é muito mais um médio ala, um jogador que joga bem na linha do meio campo, apoiando até com garra as funções defensivas da equipa. E depois com bola tenta usar a velocidade e potência para chegar à linha de fundo. Com os dribles estritamente necessários para a função, e sem grandes devaneios.

E depois como bom ala cruzar para o centro da área, onde esperamos ver bem municiados Bas Dost e Doumbia.

Os últimos Ala Esquerdos em Alvalade

Andem a tentar recuar nos últimos anos à procura de um espécime de ala esquerdo entre nós. De cabeça apenas me surgiram dois nos últimos vinte anos. E muito amados pela massa associativa. Se bem que não propriamente por mim. Capel e Di Francheschi.

Capel então deixou saudades a muita gente, pela forma irreverente como o mochilas arrancava pelo seu corredor fora. Mas por mim sempre pecou depois nos cruzamentos. Sempre para o mesmo sítio estivesse ou não lá alguém. E pela previsibilidade do seu jogo, que era quase preciso passar uma hora a pedir para ele arriscar uma jogada pelo meio.

Nisso Acuña é mais completo. Dono de um poderoso pontapé várias vezes por jogo alterna o seu estilo se vir um espaço. E tenta marcar de longa distância. E com sucesso. Nos últimos 24 jogos marcou por nove vezes.

Isso enquanto mantém uma grande percentagem de cruzamentos acertados, e nesses mesmos 24 jogos assistiu com sucesso os companheiros por treze vezes. No Sporting no campeonato passado quem mais assistências conseguiu foi Gelson Martins, com nove.

Marcos Acuña Caro?

Sempre ouvi dizer que o barato sai caro. E espero que este seja um caso como Bas Dost. Hoje todos admitimos que doze milhões pelo holandês foi barato.

Que daqui a um ano estejamos a dizer que Acuña por os sete milhões e meio que se falam também o foi.

3 COMENTÁRIOS

  1. Temos muitos extremos, mas que optam pelo jogo interior em vez de arrancarem para a linha de fundo.
    JJ chamou Jovane Cabral para testá-lo nesta função.
    A verdade é que não temos nenhum extremo do lado esquerdo que centre como acontece do lado direito com Gelson Martins.
    No jogo com o Basileia vi Bataglia por 2 vezes arrancar do meio, tabelar, chegar a linha de fundo e puxar a bola para o pé direito antes de cruzar e passar.
    É uma excelente contratação a meu ver.
    Teremos esta época a mesma intensidade pelo lado direito e esquerdo. Ora com Coentrão a cruzar , ora com as incursões de Acuna, Ora com Piccini, ora com Gelson no lado direito.
    SL

  2. Esqueci de referir que apesar de ser ala esquerdo( a comparação com Capel é perfeita) penso que JJ optará por utilizá-lo mais aberto na linha de forma a dar profundidade do lado esquerdo, não sendo de descurar, em períodos do jogo, a troca de flancos com Gelson.

Deixar uma resposta