Muito se tem falado do rendimento de Téo Gutierrez. Aquela foto na praia no Instagram em Janeiro. Nessa altura estava na sua Colômbia natal para além de passar férias recuperar de uma lesão. E os jornais fizeram a notícia tomar proporções de filme. Em que haveria má vontade do jogador, e falta de desejo de regressar.

A verdade é que nunca foi punido pelo clube, e esta direcção tem até tido mão pesada com os atletas. Como tal penso que nada se terá passado de anormal. Mas a má opinião passou para muitos adeptos.

Adeptos esses que agora questionam o valor do Colombiano, e os seus escassos golos marcados. Mas para além de ser um jogador que jogou a época toda fora da sua posição, sendo ele um nove puro, não esteve assim tão mal. Acabou a época com quinze tiros certeiros.

Faz-me lembrar outro episódio de há quase vinte anos.

Depois de uma péssima época, José Roquette que pouco ou nada entendia de futebol, afirmou alto e bom som quando questionado pela vinda de um Matador: “Querem melhor Matador que Beto Acosta?”. De lembrar que os adeptos até chamava ao Acosta o avô, e questionavam a sua aptidão para ainda jogar futebol.

Sim, esse Beto Acosta o nosso matador. Na primeira época que fez por cá era tudo menos consensual. Ou melhor, havia até muito consenso sobre que não era suficiente.

Na altura quando Téo foi contratado escrevi aqui que poderia ser um novo Beto Acosta. Se bem que pelo histórico complicado que tinha poderia ser um Schickabala. Neste momento acredito que temos um jogador mais parecido com o Argentino!

Deem tempo a Téo. Ele tem faro de golo, tem talento. E chegou quase sem pré-época e lesionado. Vamos ver os eu real valor este ano. E acredito que seja bem melhor do que vimos até aqui.

Deixar uma resposta