Teo Gutierrez

Mais de quarenta mil pessoas deslocaram-se a Alvalade no passado Sábado para ver o Sporting defrontar o União da Madeira. Eu fui um deles, como tenho feito em quase todos os jogos em casa nos últimos anos.  Como tal tenho o coração já calejado de tanto sofrer em jogos como este. Demora a marcar golo. Sofrer um golo num lance fortuito e ficar em stress até ao apito final. No entanto esta noite foi atípica.

Não demos meia hora de vantagem ao adversário. Não demoramos a encontrar o caminho do golo. E soubemos defender a vantagem conseguida de forma inteligente enquanto buscávamos mais golos. Em suma um jogo tranquilo.

De salientar alguns pontos positivos no entanto. O maior deles o crescimento de forma de Téo Gutierrez. Fomos várias vezes criticados por o defender aqui e no Twitter, mas a verdade é que está cada vez melhor. Excelentes movimentações. Raça a começar a ser importante. E sentido de jogo colectivo. Culminando tudo isto com o seu faro para golo finalmente estar a aparecer de forma regular.

Também uma palavra de apreço pelo jogo de Marvin Zeeglar. Sem ser um tecnicista fez duas excelente assistências para golo, e deu muito equilíbrio defensivo. Não tem a qualidade técnica de Jefferson, e os seus cruzamentos não levam o mesmo veneno. Mas são bons cruzamentos também, e deram de novo resultados.

Schelloto também fez um excelente jogo, fazendo piscinas entre defesa e ataque sem parar. E claro, no centro da defesa estiveram em grande nível Coates e Rúben Semedo. Lembro-me apenas de um erro deles, neste caso de Coates, mas fizeram uma partida imperial.

Imperial também esteve William Carvalho. A crescer de jogo para jogo este é o William que ansiamos enquanto adeptos do Sporting Clube de Portugal. E que enquanto Portugueses depositamos inúmeras esperanças para o Euro 2016.

Um bom jogo, tranquilo, e fizemos o que nos competia. Para a semana há mais.

Deixar uma resposta