Devo confessar que estava muito curioso sobre esta convocatória de Fernando Santos. Não só por ser a primeira, mas também por diversos pormenores. Desde quem estava proscrito por Paulo Bento e poderia voltar a quem era indiscutível para Paulo Bento e não seria para Fernando Santos.

As ausências notadas

Se a ausência de Hugo Almeida era óbvia por este não estar a competir, a de Hélder Postiga já é mais inesperada. O poveiro está a competir, sendo titular no Deportivo da Corunha, da primeira liga espanhola. E era dos elementos sempre convocados por Paulo Bento, e seria uma escolha prevista.

Miguel Veloso joga no campeonato Ucraniano, que está demasiado instável, e vem uma nova vaga de médios. Acredito que se tivesse transferido para a Fiorentina como se falou no defeso a história pudesse ser outra. Mas não foi.

Raúl Meireles sofreu do mesmo mal que Miguel Veloso. Joga num campeonato mais estável, mas ao mesmo tempo é mais velho. Percebe-se que o seu tempo na selecção tenha chegado ao fim.

Um dos jogadores fetiche dos últimos tempos de Paulo Bento era André Almeida. Não é titular no seu clube, não é lateral direito de raiz, e era para essa posição que era chamado, e Cedric tinha tudo o que ele não tinha. Mas Paulo Bento cumpria sempre uma cota de jogadores do Benfica, e André Almeida ajudava.

Os retornados

Danny deixou de ser convocado depois de um caso estranho com Paulo Bento. No entanto nunca contou para Paulo Bento como titular, o que era estranho quando é dos melhores jogadores portugueses em actividade. É o maior reforço para Fernando Santos claramente.

Tiago pode não ser novo, mas a super época que fez ao serviço do Atlético de Madrid sagrou-o campeão espanhol. Sendo este um dos maiores campeonatos do mundo, e sendo que se manteve e continua titular é uma clara mais valia. Tinha saído por sua opção, e mostrou-se agora disponível para voltar.

Ricardo Quaresma é um talento nato. O problema é a sua irregularidade, falhas de concentração e dúvidas sobre se é bom elemento no banco quando não tem lugar a titular. Com Lopetegui tem sido suplente, e até agora sem problemas. Será que foi isso que fez Fernando Santos optar por ele?

E a maior surpresa nos retornos, Ricardo Carvalho. Saiu da selecção por uma péssima atitude que foi pública. Voltar sem pedir sequer desculpas publicamente parece errado. E o bilhete de identidade dele pesa mais do que qualquer outro. Trinta e seis anos é uma idade bem avançada num futebolista. Claro que foi titular no vice-campeão francês, e ainda é titular. O argumento usado para Tiago pode ser usado também. Se bem que é um campeonato mais fraco.

No geral gosto da maioria das saídas, e da maioria dos retornos. Quanto às novidades, deixo-as para outro dia.

Deixar uma resposta