Na segunda-feira escrevi sobre os cinco casos mais urgentes que deveriam ser resolvidos até ao fecho do mercado. Fechado agora esse mesmo mercado, faz todo o sentido voltar a falar sobre estes casos, e fazer o ponto de situação.

Valentin Viola e Zakaria Labyad

O caso de ambos acaba por ser semelhante. Não estavam até ao fim do mercado inscritos, e era intenção pública do Sporting negociar os atletas.

Não se tendo encontrado colocação para os mesmos, e já que se paga os salários, foram inscritos. Agora falta saber se integrados na equipa A ou B.

À partida a equipa B tem um projecto diferente, onde novos valores despontam e onde devem ter o máximo de minutos possíveis. Logo à partida um mau encaixe para os dois retornados. Por outro lado na equipa A entram em conflito também com o espaço de Carlos Mané e Gélson Martins. Um limbo tramado, e que ao mesmo tempo precisa de ser tratado pois precisam de ir jogando de vez em quando, mesmo que seja para serem vendidos.

André Martins

Sinceramente não vejo onde encaixar o jogador. Será para mim apenas a quinta opção para os dois lugares de meio campo. Pode ser útil, até porque faz várias posições do meio campo, e tem sido um bom profissional. Agora tendo em conta que já não tem grande margem de progressão, e o contrato acaba em breve, penso que teria sido boa altura para terminar a ligação ao Sporting.

Assim sendo ficará por cá, mas à partida numa posição de tapa buracos.

Wilson Eduardo

Foi o único caso que teve uma conclusão na linha do que eu gostaria para já. Vai ter boas oportunidades no Braga, e vai com certeza valer algum dinheiro ao Sporting quando for transferido de volta, visto termos ficado com 40% do seu passe. Boa sorte Wilson, e tudo de bom para ti. Mereces.

Andrés Carrillo

Dos casos que ficou por resolver é de longe o que mais me atormenta.

O meu lado positivista quer acreditar que a renovação já está acertada e apenas à espera do momento perfeito para a divulgar.

O lado pessimista teme que ele acabe num rival a custo zero.

Confio muito nesta direcção, e espero que esteja mais perto do meu lado positivista que pessimista a realidade.

Deixar uma resposta