Ontem o ilustre Fernando Gomes, presidente da mui honrada e honesta Federação Portuguesa de Futebol veio a público falar sobre o Mundial de Futebol do Brasil. Andou dois meses, juntamente com a sua equipa, a tentar perceber o que falhou neste mundial. E não só a detectar o que se passou mal, mas também a descobrir o que fazer para o futuro.

O que correu mal? Os locais absurdos escolhidos para os estágios? Segundo Fernando Gomes não, a análise que fizeram a posteriori prova que foram excelentes escolhas(!). A convocatória estapafúrdio e cheia de birras de Paulo Bento? Não, o seleccionador fez um trabalho excelente, apesar dos resultados serem péssimos.

Provavelmente então foi o departamento médico e a enxurrada de lesões? Segundo o presidente as lesões sim foram um problema. Mas mais azar que culpa. No entanto a actual equipa médica irá passar para outras funções no quadro da comissão da UEFA. Um culpado parcial portanto.

Mas o verdadeiro mal é Portugal já não formar jogadores há oito anos segundo ele. Sim porque jogadores dessa faixa etária (ou seja entre 18 e os 26 vá lá) não são dignos desse nome. Isto é culpa da formação. Não de o Paulo Bento não os convocar (como é o caso de Adrien Silva por exemplo). Nem de os convocar mas não colocar a titular onde merecem estar (exemplo William Carvalho).

Então e qual a brilhante solução do presidente Fernando Gomes para isto?

Paulo Bento, Selecionador Nacional, vai passar a coordenar o Gabinete Coordenador Técnico Nacional, trabalhando neste âmbito com Rui Jorge, selecionador de sub-21, e Ilídio Vale, coordenador das seleções nacionais jovens.

Do ponto de vista regulamentar, ficou a promessa de que será proposto “um aumento do número de atletas formados localmente nos clubes participantes no Campeonato Nacional de Seniores em modelo e faseamento a discutir com todas as associações distritais e com a recolha dos seus contributos”. O próprio conceito de atleta “formado localmente” será reavaliado.

Duas partes portanto. Na primeira vemos que o seleccionador que ignora os talentos despontados nos últimos tempos irá ter ainda mais poderes sobre as escolhas desde a formação! Realmente útil.

Mas a grande bomba é a segunda, esta sim irá revolucionar o futebol em Portugal a nível de formação. Agora os clubes do Campeonato Nacional de Seniores (antiga 2ª B e terceiro escalão de competição em Portugal) terão de usar mais jogadores Portugueses!

Realmente honorável Fernando Gomes essa foi bem apanhada. À quanto tempo não é convocado um jogador desse escalão para a selecção? Realmente deve haver uma falta de aposta nos portugueses aí. E mal jogarem mais portugueses nesse escalão, em vez das contratações milionárias que a malta do Campeonato Nacional de Seniores faz no estrangeiro,  vão ver. É só malta do Campeonato Nacional de Seniores a discutir com Ronaldo a titularidade na selecção!

Que génio este Fernando Gomes!

3 COMENTÁRIOS

  1. Meu caro, não te esqueças que o Paulo Bento é apenas o “treinador” da Selecção Nacional. O(s) verdadeiro(s) seleccionador(es) é o Sr. Dr. Empresário Agente dos Jogadores (ainda por cima sabemos de antemão que é praticamente sempre o mesmo) e os Srs. Drs. detentores dos passes. Futebol é negócio, e o resto é conversa. Depois de mais uma encenação ridícula no caso JJ vs. boavista achava que já tinhas percebido que a FPF é apenas um fantoche parecido com o símbolo da Nike: só serve para o logótipo ficar bonito no cantinho da camisola.

  2. acho muito toca a convocar jogadores da 2B, Devíamos jogar o 1ª jogo com as estrelas do Gafanha, Pampilhosa, Sesimbra, cova da piedade, com sorte empatamos com Arménia ou com Albania

Deixar uma resposta