Vitor Paneira, treinador do Varzim, festeja a vitória sobre o Estoril no final do jogo a contar para a 3ª Eliminatória da Taça de Portugal disputado no Estádio Municipal da Povoa de Varzim, 18 de Outubro 2014. HUGO DELGADO/LUSA

Oh Paneira de Tondela,

A tua cor não é aquela.

E isso explica o melão

Que tu sentes lampião!

Pré-jogo lá andavas

Na imprensa lampiã

Loas ao Orelhas cantavas

E tinhas a esperança vã.

Essa esperança que tinhas,

Dias antes foi aumentada.

Quando leste nessas linhas,

A besta Xistra foi nomeada.

E no jogo tudo se revelou.

Num lance triplamente mentiroso.

Que o Xistra logo validou,

O golo que te meteu vaidoso.

Não esperavas que o Leão

Fosse capaz ainda de ganhar

Mesmo com a mão do ladrão

Quando o jogo estava a acabar.

Sim o golo é duvidoso,

Não se consegue descortinar.

Se o João Pereira foi faltoso

Ou na linha tocava o calcanhar.

Mas uma coisa é a verdade,

Que tu bem sabes Paneira,

O Sporting ganhou com lealdade,

E a tua corja Paneleira!

Deixar uma resposta