Este era daqueles jogos em que se tinha de ganhar e convencer. E apesar de uma primeira parte soturna, a segunda parte trouxe tudo aquilo que se pedia.

Golos, jogadas, pressão e confiança, tudo isto deram ao Sporting o resultado que se pedia. Especialmente antes da paragem para os jogos das selecções.

Pontos Positivos

O retorno ao golos de Montero. Um jogador que vivia uma crise de confiança.  Agudizada no final da temporada passada por os seus golos serem anulados, mesmo que fossem legais.

Além do golo Montero entrou de forma brilhante na partida. As suas movimentações baralharam por completo o autocarro Penafidelense e ajudou Slimani a ganhar finalmente espaços.

Espaços esses que Slimani aproveitou de forma categórica. Primeiro em força com a sua arma principal, o jogo aéreo. E depois numa jogada em que resolveu calar quem diz que ele é um tosco. Dominou uma bola difícil em progressão e atirou com força e colocação. É o nosso ponta de lança ideal para estes jogos.

Adrien foi poupado inicialmente, mas acabou por entrar. Num jogo em que só usamos dois médios, e sem grande pendor defensivo, a sua velocidade e rotação sobrepõe-se ao poder físico de William.

A interligação entre João Mário e Adrien, quando jogaram sozinhos no meio campo, foi muito interessante. Ambos se comportaram como lançadores de jogo recuados, mas sempre à vez. Contra equipas que estão muito fechadas pareceu-me uma combinação ideal para jogos onde o sentido posicional de William não faz tanta falta.

Paulo Oliveira teve a sua estreia a titular, e possivelmente será a primeira de muitas. Um bom jogo, seguro e controlado. Tendo em conta o que tem feito Sarr e Maurício, está agora em vantagem.

E Nani. Voltou a fazer um bom jogo, culminado com um golo de pura classe. É um prazer enorme ver Nani a jogar com as nossas cores, e a fazer golos desta forma.

Marco Silva desta vez, e ao contrário de algumas vezes recentemente, fez as substituições que eu teria feito. Pelo menos no caso de Adrien e Montero. Ganhou o jogo do banco, e merece o crédito por isso.

Pontos Negativos

Sarr voltou a falhar. Eu sou dos que vê no jovem francês um enorme potencial. Mas até eu começo a ter poucas hipóteses de defender algo que não uma passagem pelo banco…

Jefferson fez um grande cruzamento para o primeiro golo. Algo a que nos habituou no passado, mas que não tem surgido nesta época. A sua exibição comparada com as que Jonathan Silva têm produzido no entanto foi pobre. Pouco confiante a atacar, e algo lento a defender.

William esteve lento e percebeu mal o que o jogo lhe pedia. Num jogo destes tem de ser mais lesto a variar o flanco, ou a voltar a confiar e avançar com a bola.

Conclusão

Uma primeira parte perdida, mas compensada por uma segunda parte de classe. A táctica, quase um 4-2-4, apresentado em grande parte do segundo tempo, tem de começar a ser equacionado até para surgiu de inicio contra adversários deste calibre.

Foi o resultado preciso, e alcançado com galhardia. Agora, que venha a selecção e depois a Taça de Portugal!

Deixar uma resposta