Quando passados alguns minutos de jogo surgiu a lesão do Nani fiquei bastante preocupado. Não tenho medo de um Sporting sem o Nani. É o melhor jogador do campeonato, e por larga margem, mas é apenas mais um jogador do Sporting. No entanto fiquei preocupado em ver como a equipa reagiria à saída da sua estrela.

Reagiu bem, e ganhou com brio. Perante um Boavista honrado, e que mostrou que não está para fazer fretes a ninguém. Olhando o jogo da semana passada contra o Vitória de Setúbal foram notórias as diferenças. Não é ainda o Boavistão, mas é uma equipa séria e sólida. E que relembremos, só não roubou pontos ao Benfica porque… foi roubado.

O que gostei

Da atitude competitiva do Sporting. Estiveram sempre muito bem em jogo, e mesmo sem um espectáculo do outro mundo, sempre me pareceram em controlo do mesmo.

Carlos Mané esteve mais uma vez muito bem em campo. Está a solidificar as exibições, e a crescer de jogo para jogo.

O meio campo, mesmo quando eram apenas duas unidades, soube controlar as operações.

A dupla de pontas de lança deu um enorme trabalho à defesa alheia. E esteve constantemente a trabalhar ela própria.

A defesa esteve bem, e chegou mesmo a dar sinais de solidez. Miguel Lopes tem uma presença física mais forte, e Jonathan Silva esteve bastante acertado. Isto tirando o auto golo claro.

Maurício e Paulo Oliveira começam a conhecer as rotinas um do outro, e a pouco e pouco os calafrios com o centro da defesa são menos.

E claro, La Culebra Carrillo. Que entrada estonteante. O projecto de jogador peruano que era demasiado irregular e pouco decisivo está a desaparecer. No seu lugar aparece um jogador com movimentos de desequilíbrio verticais cada dia mais fortes, constantes e perigosos. E agora nuns jogos sem Nani terá tudo para assumir lugar de destaque.

O que não gostei

A lesão de Nani. Perder nem que seja por um jogo um jogador deste calibre faz mossa a qualquer clube do mundo. Espero que recupere rápido, e que nos continue a maravilhar com o seu futebol.

Mais um autogolo. Esta época começa a ser o azar mais recorrente que vejo. Mas o espaço permitido para este tipo de cruzamentos pode bem ser o motivo desta falha. Um aspecto a ver, rever e corrigir.

Conclusão

Mais uma vitória, três pontos garantidos, e contra um adversário que em casa irá vender cara a derrota perante qualquer adversário.

Agora pensar no jogo frente ao Chelsea. Esse provavelmente o mais difícil da época, e contra uma das duas melhores equipas do mundo neste momento.

Deixar uma resposta