Artigo genial hoje do nosso consócio João Quadros para o Jornal de Notícias. Leitura obrigatória!

O lago dos cínicos

Ufa! Lá nos apurámos. Foi um dia pleno de emoções. Tudo começou pela manhã, à beira de um lago, quando Cristiano fez o que muito boa gente tem vontade de fazer a um microfone da CMTV, desde os tempos do rapaz da pizza à porta de casa do outro engenheiro. Agora, para conseguir chegar à Bola de Ouro, só se o Messi afogar a redação do CM. 

O jogo foi emocionante. Foi o melhor pior jogo do campeonato da Europa. Uma partida imprópria para cardíacos e gente sem coração. Os húngaros entraram no jogo com alguma sobranceria, ao ponto de o guarda-redes ter aparecido em campo em calças de pijama. Király, o guarda redes húngaro, estava equipado como aqueles indivíduos que vão ao pão de manhã vestidos como se fossem pôr a roupa suja na marquise.

Durante quase noventa minutos estivemos como os ingleses, com um pé dentro e fora da Europa. Os húngaros marcaram primeiro, o que desde logo obrigou Fernando Santos a ter de abdicar de um bom e saudável zero a zero. Nani marcou antes do intervalo, rematando para o lado em que Király não tinha feito as bainhas.

No regresso, quando vi Renato Sanches em campo, e confirmei que não tinha saído nenhum jogador e só faltava Moutinho, julguei que ele se tinha atrasado nos balneários, mas que vinha aí. Pensei: “Queres ver que Fernando Santos vai arriscar tudo, inclusive as regras da UEFA, e jogar com 12 jogadores!” Imaginava tudo menos que o engenheiro fosse capaz de tirar o Moutinho. Julgava que era uma superstição, uma promessa ou uma doença. A verdade é que bastou tirar Moutinho para começar haver um jogo do Euro com muitos golos.

Estivemos sempre a perder, a correr atrás do Euro. A dez minutos do fim, com 3-3 (dois golos de Ronaldo), o nosso míster resolve tirar Nani e fazer entrar Danilo, para segurar o segundo lugar, que acabou por ser terceiro. Confesso que senti vergonha. No final do jogo, as calças do Király estavam mais limpas que as cuecas do Fernando Santos.

Seguimos para os oitavos e isso é que interessa. Evitámos a Inglaterra e vamos jogar com a Croácia; foi um quanto pior, melhor. Na verdade, fomos salvos pelo tal alargamento que era uma fantochada, porque só servia para incluir seleções pequeninas.

Agora, é perder com a Croácia, que ainda deve dar para passar. Se vencermos, pago uma rodada de microfones a todos.

João Quadros in Diário de Notícias

3 COMENTÁRIOS

  1. este cara-de-velha é aquele exibicionista do twitter que está sempre a ameaçar bater em alguém mas nunca bate e publica fotografias da sua triste figura em tronco nu?

    então não, obrigado.

  2. então mas queres ver que o João Quadros não tem razão no que escreveu??? o que é que acrescentaste ao assunto Pedro Lima?

    Realmente a nossa selecção, melhor dizendo, a selecção que Jorge Mendes faz e fernando Santos põe a jogar, é uma pobreza franciscana, o meio-campo formado por dois caracóis chamados Moutinho e André Gomes, só na cabeça de Jorge Mendes/ Fernando Santos conseguem tirar o lugar a Adrien e R. Sanches.
    Jogar para não perder a 10 minutos do fim deixou envergonhado qualquer português.

    É mesmo, diziamos nós mal do apuramento dos 4 melhores 3ºs classificados e nós fomos o 3º pior classificado dos que ficaram em terceiro lugar.

    Vergonha de selecção!

Deixar uma resposta