Ontem quando acabou o jogo escrevi no Facebook que a vontade para escrever de imediato sobre este jogo era pouca. O golo de Nani provocou-me um grito de alegria enorme, mas o balde água gelada do golo esloveno foi duro demais.

Não consegui passar para texto tudo o que me estava a vir à cabeça naquele momento, mas ainda dava para trocar umas palavras com outros Sportinguistas. Agora mais calmo, vou tentar resumir um pouco as coisas que correram bem ou não.

Pontos Positivos

O caudal ofensivo foi de novo enorme. Muito jogo interior de Nani e Carrillo, e desta vez apoiados por Slimani a servir de cunha para as suas movimentações. As diabruras que ambos os alas fizeram deram gosto ver, e durante todo o jogo não duvidei que iríamos marcar. E marcámos com um golo de belo efeito de Nani, que volta assim aos golos. Que seja o primeiro de muitos!

Slimani com o seu jogo físico pressionou os centrais obrigando-os a recuar atrás dele. Foi o melhor jogo dele esta época, e claramente assim merece continuar.

Adrien Silva foi para mim o melhor no meio campo. O trabalho de comer quilómetros, passar a bola e muita mas muita pressão foi dele. Continua bem, se bem que pouco vistoso.

Cédric Soares voltou à equipa, e voltou bem. Claro que estoirou na segunda parte mas a sua capacide de drible e cruzamento foram positivos. Esgaio tem potencial, tem mais poder de decisão, mas Cédric foi melhor do que Esgaio tem sido. E Esgaio tem estado bem.

Rui Patrício não merecia a traição dos centrais. Salvou pelo menos mais duas ou três patetices de Maurício, mas São Patrício não pode fazer todos os milagres. Sai sem mácula.

João Mário entrou bem, e provavelmente terá ganho o seu lugar a titular para o jogo de Barcelos. Mais esclarecido que André Martins, e com melhores movimentações. E fez quase três vezes mais passes que o titular neste jogo.

Pontos negativos

A quantidade de golos feitos desperdiçados foi assustadora. Falta de confiança ou sorte? Ou apenas falta de forma? Não sei, mas tem de mudar urgentemente.

William Carvalho está claramente fora de forma. Por muito que me custe não sei se não faria bem ficar um jogo de fora até. Não esteve demasiado mal, mas não esteve bem também.

Carlos Mané falhou um golo que não podia ter falhado. Gosto muito dele, está a subir de forma, mas precisa de voltar ao seu instinto goleador. E a perceber de novo o tempo de remate.

André Martins voltou a não ser uma unidade relevante no processo ofensivo. Fez alguma pressão mas de resto era um jogador a menos. Tem claramente de ir passar um tempo ao banco de suplentes.

Jefferson fez um jogo razoável a nível ofensivo, mas a nível defensivo voltou a falhar. E no golo do Maribor é um dos culpados.

Sarr fez um erro grave no lance do golo. Naquela altura do jogo, em descontos e a ganhar, não se faz aquilo. Outro erro no entanto nesse lance foi em ter confiado que Maurício faria o que lhe competia.

E esse para mim foi de longe o nosso pior jogador. Maurício tem quatro lances graves em que erra. Patrício ainda foi resolvendo, mas no último nada pode fazer. Um central com experiência ali não inventa e despeja para a bancada. Um central com classe faz uma saída de bola com estilo ali. O Maurício faz asneira. Neste momento, até para se proteger o jogador, tem de sair do onze titular.

Conclusão

Não consigo meter Marco Silva como ponto negativo ou positivo ainda. No artigo anterior falei que ele era menos pragmático e mais adepto do futebol em si que Paulo Bento por exemplo. E foi em parte isso que aconteceu aqui. Se ele tem metido Rosell ou Paulo Oliveira quando os meteu a aquecer, em vez de Montero, se calhar tinha ganho o jogo. Quis continuar a ser um treinador de espectáculo, e pagou caro. Gostei no entanto que tenha marcado desde já um treino para hoje. É assim que se faz.

Os problemas dos últimos jogos estão todos semelhantes. Atacamos muito e bem. Falhamos muitos golos e mal. E a defesa é um problema de tal forma gritante que tem de ser resolvido ontem.

Deixar uma resposta