Ainda há uns dias referi que achava que a questão da compra de um central por parte do Sporting estaria a ser exacerbada pela imprensa. E continuo a manter o que disse apesar da chegada de Mouhamadou-Naby Sarr.

O internacional sub21 Francês tem muitas características que eu gosto. É um central possante fisicamente, 1.96m metem respeito, muito rápido e com bom tempo de ataque à bola. Não é propriamente um prodígio técnico ou táctico, mas não é por esses parâmetros que o vou avaliar no futuro.

Agora a questão que se faz é: porque comprar este central então?

Um ponto relevante é a tipologia de jogador. Temos muitos centrais bons no plantel, especialmente olhando para os jovens que estão a surgir. Rojo como titular, com Dier a morder os calcanhares, dão uma segurança muito forte para acompanhar o Maurício “Xerife”. Numa segunda linha de jovens vemos aparecer Paulo Oliveira e Tobias Figueiredo. Tudo boa gente, e com muito potencial. Mas se olhar-mos bem, são tudo, à excepção de Maurício, centrais com algum retoque técnico e com gosto pelo jogo posicional e o joga bonito.

Nas equipas de topo é preciso um central mais duro, que imponha o seu físico e que não tenha medo de fazer a entrada forte no tempo certo. Um homem que tanto em velocidade como no ar seja um bastião e imponha respeito. E nisso apenas tínhamos um jogador Maurício. E sejamos sinceros, é um excelente jogador, mas não tem potencial para muito mais do que já mostrou.

Tobias poderia ter algumas destas características, mas penso que será algo mais. Temos no entanto Rúben Semedo. E se olharmos a tudo o que dissemos o Semedo pode ser aquilo que Sarr é. Mas têm a mesma idade, e o Sarr mostra já um nível de agressividade superior. E é ainda mais forte fisicamente.

Um erro comum é achar que todos os bons júniores vão dar bons seniores. Ao ter todo este lote de jovens centrais, e com características muito variadas, podemos conseguir ter daqui a um ano 2-3 centrais de top. E não estamos a falar de top para o campeonato português apenas.

Com um milhão de euros investidos nesta contratação, o potencial de retorno daqui a 3-4 anos pode ser gigantesco. Se resultar claro. Se falhar o preço não terá sido impeditivo.

Agora uma coisa é certa, com todos estes números, pelo menos dois centrais dos jovens deverão ser colocados a rodar noutros clubes por um ano.

Quanto à pergunta inicial, seria preciso esta contratação? Só mesmo se fosse para ter uma alternativa a Maurício em termos de central mais físico. Mas bons negócios não se devem apenas à necessidade. E este caso parece que mais que necessidade foi uma boa oportunidade.

2 COMENTÁRIOS

  1. Eu acho que existe um certo mau estar entre a blogesfera sportinguista com a contratação do francês. E nem acho tanto que será pelo valor do jogador (quem poderá dizer neste momento que tem qualidade ou não?) ou por aquilo que custou ( valor quase residual nas transferências hoje em dia.
    Eu acho que ess mau estar vem sobretudo por pensar que a formação leonina com Dier, Tobias, Semedo e até Domingos Duarte está preparada para esta posição.
    No entanto, já vieram P.Oliveira e agora Sarr o que pode ser considerado como um desperdicio de recursos sem trazer um acréscimo inequivoco de qualidade.

    Agora, não era novidade que a SAD do Sporting andava á procura de mais um central. Falou-se em Milosevic, Rabia e finalmente veio Sarr.

    Lendo um pouco mais sobre esta contratação, há um dado importante que se calhar tem passado despercebido a quem não está tão dentro de isto como nós.
    Dier, Oliveira, Mauricio e Tobias são destros. Apenas Rojo e Sarr são esquerdinos.
    A sair Rojo, acho que isto deverá ter sido em conta.
    Digo eu!

    • Eu percebo a lógica que muita gente tem de achar que todos os putos que são bons nas camadas jovens são o nosso futuro. E concordo que muitos até o serão. Mas comprar jogadores de potencial elevadíssimo, com um físico impressionante (para as posições em que isso é relevante) por um preço barato tem sempre de ser de louvar.

      A parte do não ser novidade a busca do Central, e os nomes falados, continuo sem ter certezas, nem saber se algum dia chegaram a ser questionados esses nomes. A imprensa trás lixo demais para um gajo poder acreditar.

      O pormenor do pé esquerdo, não tinha reparado, mas é muitíssimo bem lembrado! E pode ser relevante claro. Mesmo sem a saída do Rojo até.

      SL

Deixar uma resposta