epa04989879 Matheus Pereira of Sporting Clube de Portugal celebrates a goal against KF Skenderbeu during the UEFA Europa League group H match, held at Alvalade Stadium in Lisbon, Portugal, 22 October 2015. EPA/JOSE SENA GOULAO

Nos últimos tempos a maioria dos textos aqui publicados têm sido em modo “Fight and Resist”. Não é o que mais gosto, mas tenho sentido muito essa necessidade. Mas depois de sair de Alvalade ontem tinha uma certeza. Tinha de escrever algo sobre Matheus Pereira.

O jovem luso-brasileiro surgiu ontem como titular, e mais uma vez mostrou que merece cada minuto que joga. E mostra cada vez mais o porque do esforço que Leonardo Jardim fez para o levar para o Mónaco mal saiu do Sporting. E claro, o esforço feito por Bruno de Carvalho para o segurar e reintegrar.

Ontem voltou a fazer magia. E a cada dia que passa pede mais tempo de jogo na equipa principal. Tem técnica, acima da média mas sem ser um brinca na areia. Sem ser um velocista é rápido o suficiente, mas especialmente ágil.

E tem uma atracção pelo golo que me deixa fascinado. Não só com o acto de rematar, mas sempre em procurar que da jogada surja o golo. Cada vez que recebe a bola na ala é ver Matheus a levantar a cabeça e ver onde os colegas estão. Onde ele está sabe ele bem, e se vir uma chance de tirar um adversário da frente e rematar irá tentar o golo ele.

Mas se vir um colega a movimentar-se de forma a ser ele a concretizar, é para lá que a bola segue. Ontem meio golo do Brian Ruiz é dele, e dessa forma. Uma assistência genial, a coroar uma exibição muito conseguida.

Matheus Pereira… um nome a fixar por muitos e bons anos. Com ou sem jornais portugueses a dar o mérito a mais um enorme talento nascido em Alcochete.