Quem for ver o resultado do jogo Sporting vs Nacional começa por ver espelhado no marcador dois golos de Freddy Montero. No entanto isso é apenas uma parte da história do que se passou em campo, e começo por fazer uma afirmação algo ousada: acho que André Martins esteve bem melhor que Freddy Montero.

Tive a companhia de um amigo neste jogo, amigo esse que valoriza bem mais André Martins que eu. E tem sido visto nos últimos tempos neste espaço que não tenho morrido de amores pelo médio Português. Mas esse amigo muitas vezes chamou-me a atenção para o posicionamento dos nossos jogadores.

Esse posicionamento passava por uma falha gritante na ocupação de espaços na zona entre os pontas-de-lança e a linha do meio campo. Comecei por tentar contrapor que seria uma falha de André Martins, mas a cada lance o meu amigo apontava, e era de salutar o lugar que Martins ocupava. Por outro lado Freddy Montero, e sejamos sinceros Junya Tanaka, estavam os dois entretidos perto da área, ou a dar apoio a uma das laterais. Nenhum deles descia, nenhum deles dava uma linha de passe, e muitas vezes André Martins era obrigado a fazer circular o jogo para uma das laterais, ou mesmo para trás.

A primeira parte foi má da nossa parte. Temos de ter isto bem ciente. O ataque não funcionou, muito por causa deste “buraco” entre o meio campo e o ataque. E no meio campo André Martins tinha de contruir por ele e por Oriol Rosell. Que pode ser muito voluntarioso, mas para o meio campo de um grande acrescenta pouco.

Na segunda parte, com a entrada de Adrien Silva, André Martins passou a ter mais algum espaço. Carlos Mané e o entrado André Carrilo fletiram várias vezes para a zona entre o meio campo e os pontas-de-lança, e o futebol do Sporting começou a fluir.

Montero acaba por marcar dois golos, bons golos, mas em que o maior mérito que teve foi em estar no sítio certo para empurrar. Bom trabalho de finalização, bom sentido de oportunidade, mas para mim um passo atrás para quem pensa que o Colombiano pode ser um jogador para jogar a 10.

André Martins por seu lado, que volto a dizer já critiquei variadas vezes neste espaço, esteve muito bem, tanto defensivamente como ofensivamente, e provou que na ocupação de espaços está num patamar muito alto. Não o considero melhor que William nesse campo, nem se calhar do melhor João Mário. João Mário esse que está um pouco em baixo de forma, mas que continuo a acreditar muito no seu valor.

Às vezes faz falta um amigo chamar a atenção para algo, nem que seja para olhar melhor para o trabalho sem bola de um jogador. E neste caso o André ficou muito bem na fotografia.

Deixar uma resposta