Despedida da Liga Europa

Custa-me sair de qualquer competição sem ser como vencedor. Faz parte do meu ADN de Sportinguista. Ontem ser eliminado da Liga Europa custou-me, como me custam todas as derrotas.

Desesperei com as bolas que Carlos Mané teimava em não enviar para a baliza. E com Téo Gutierrez a tentar uma finta em vez de abrir fogo.

E claro Jefferson. Tudo o que tem de bom ofensivamente, tem de mau defensivamente este ano. O posicionamento dele em todos os golos desta eliminatória foi horrível.

Mas depois fico a pensar, mais a frio, se não terá sido a despedida na hora certa. Apesar de derrotados deixamos uma imagem sólida, de equipa que estava ali de pleno direito, e que discutiu a eliminatória mano a mano. Sim, bem sei que a primeira mão foi perdida de outra forma.

E depois olho para o calendário. Ainda teríamos de fazer mais sete jogo para vencer esta prova. De elevado grau de dificuldade, e a meio da semana. Sendo que o Campeonato Nacional é o nosso maior objectivo, tenho de acabar por achar esta eliminação não muito negativa.

E mostrámos à Europa alguns jogadores. João Mário no topo da lista. Que jogo meus senhores. Inteligência, técnica, e até golo! O record de presenças europeias pelo Sporting para o nosso São Rui Patrício. E as oportunidades para muita gente nova na fase de grupos.

Dignificamos, pelo menos em parte, as nossas cores. Não fomos bobos da corte de ninguém. Os milhares que foram até à Alemanha é que mereciam mais. Na transmissão na televisão só se ouviam as vozes verdes e brancas.

Que 12º jogador nós temos. Nem é nas votações online que se nota que realmente temos os melhores adeptos. É nesta presença seja onde for, contra tudo e contra todos, que mostram o nosso real valor.

Agora temos é de lutar com tudo, e contra tudo, pelo campeonato. Porque esse temos de ganhar!

Deixar uma resposta