Um blog que aprecio particularmente, e a quem deixo desde já um abraço, é o Leão de Plástico. Hoje num artigo muito bem escrito ele traz à baila a questão de Valentin Viola e Zakaria Labyad, colocando-os como um caso de crédito mal parado. No entanto na sua opinião talvez fosse a altura para começar a pensar, face à situação de André Carrillo, de os testar no lugar do Peuano, em alternativa à colocação de Gélson Martins ou Matheus Pereira.

Percebo a lógica. São jogadores que tinham um potencial muito acima da média, tanto o Argentino como especialmente o Internacional Marroquino. Ambos foram ídolos nos clubes por onde passaram, e no caso de Labyad até fez uma época muito interessante o ano passado por empréstimo ao Vitesse.

Tanto tinham potencial que foram ambos colocados ao serviço, e teste, de Jorge Jesus na pré-temporada, e foram ambos afastados por ele por decisão técnica. E até tinham sido falados como jogadores que lhe pareceriam bem. Mas ambos parecem sofrer de um problema que para Jorge Jesus é crucial: falta de intensidade. Para o treinador Português falta de intensidade significa desde logo afastamento dos seus planos. Até se conhecem casos em que pediu a contratação de um jogador, e que acabou por dispensar ainda antes da época começar, por falta desta característica.

O que precisam então estes jovens bem pagos, e com potencial, para passar à frente dos seus companheiros, ainda mais jovens e talvez com maior potencial? Darem o litro na equipa B. Ganharem uma intensidade que ainda não demonstraram. E com isso mostrar a Jorge Jesus que mudaram e estão prontos e comprometidos com o seu esquema.

Se o fizerem, e mostrarem intensidade, golos e jogadas, na equipa B, acredito que serão chamados. Até lá, e pelo que se tem visto nos jogos que fizeram pela equipa de João de Deus, não deverão ter grandes chances…

2 COMENTÁRIOS

    • Verdade que perdemos esse jogo e de forma miserável.

      Quanto ao resto, fraca memória meu caro. O Benfica e o Sporting já se encontraram esta época noutro jogo oficial, e que ao contrário deste dava um troféu. A Super Taça. Lembra-se quem o perdeu, e perdeu o troféu? Acho que quem precisa de Halibut é o senhor. Mas se calhar ficou sem dinheiro para ele após o dar aos árbitros das mais diversas modalidades…

Deixar uma resposta