Existiu durante 16 temporadas uma prova chama de Campeonato de Portugal. Esta, existente entre 1922 e 1938, era uma prova que trazia a competição os melhores clubes de cada região, e em modo de eliminação definia quem era o Campeão Nacional.

É com este argumento que todos aqueles que realmente investigam a história do Futebol Português, de forma imparcial, reconhecem que o Sporting se sagrou por 22 duas vezes Campeão Nacional, tendo vencido por 18 vezes a Liga Portuguesa, ou Campeonato da Primeira Divisão, e 4 vezes o Campeonato Nacional.

Os revisionistas defendem que estes títulos, que na altura foram celebrados por adeptos, jornais e autoridades como atribuindo o título de Campeão Nacional, não o são porque eram provas em eliminatória.

O Conselho da FIFA recentemente resolveu atribuir o título de Campeão do Mundo aos vencedores da Taça Intercontinental. Na altura quando existia este troféu, que foi mais tarde cancelado com o aparecimento do Mundial de Clubes, o vencedor era chamado de Campeão do Mundo, e assim festejado.

Era uma prova em que os campeões regionais das maiores regiões futebolísticas do mundo se defrontavam. E em sistema eliminatório. Tudo isto semelhante ao Campeonato de Portugal.

Mas claro, os revisionistas do regime, e uma FPF a soldo, querem tentar reescrever a história de outra forma.

8 COMENTÁRIOS

  1. Eu se fosse o Bruno sabes o que faria? Simplesmente ignorava o que eles dizem de 18 campeonatos, e fazia uma campanha pelo 22, era 22 no estádio, rumo ao 22, enfim inundava o mercado com o numero 22. E estava bem a cagar para eles, assim iria causar muito mais pressão, para o reconhecimento. Agora fica se nos 18, nao se faz nada, nao se discute nao se argumenta , aceita se assim tudo sem luta, nao pode ser,

  2. Para mim, a quantidade é importante.
    Mas muito mais importante é a forma como foram ganhos”!
    Os actuais “pentas” e “tetras” da treta, de uns e de outros, “ROUBADOS” como foram e agora sabendo quase todos os pormenores, incluindo a “Guerra” psicológica e a utilização dos meios tecnológicos actuais, o que é que ficam a valer?
    Valeram-nos o conhecimento de como são fàcilmente tornados corruptos aqueles que um dia pensámos que escolhidos por meios democráticos, usando a Democracia iriam decidir.
    E pior, mesmo os que foram nomeados para o não permitir e o consentiram! Encastrados nos lugares das Grandes Decisões, comportaram-se como reles carteiristas dos transportes públicos, que “atacam” em grupo os mais frágeis dos “passageiros”, que, estando confiantes que nada de mal lhes vai acontecer, nada podem fazer contra a “matilha” bem organizada e colocada em toda a parte!
    Bastava-nos que alguém no caminho tivesse tido a HOMBRIDADE de desmascará-los!
    Falta-lhes o cálcio na coluna vertebral e só andam aos “caídos”!

  3. Não esquecer que, tanto na Alemanha como na Itália, são contabilizados como campeões e era no mesmo sistema ( Aliás, ainda era com menos jogos, também por eliminatórias )

    Sempre foram 22, são 22.
    Não esquecer as capas de jornais numa certa época, em que saltaram uns 3 títulos ou lá o que foi.
    Contabilidades manipuladas, que deram jeito.

    ( Isto para aqueles que dizem ” ah e tal, era tipo Taça de Portugal ” –> Mas os anteriores contaram. E a única prova que tinha nove Experimental, era essa outra Liga. Só porque decidem do nada que a Liga Experimental é que conta, não é plausivel, nem verdadeira. Era Experimental e tornou-se a oficial, cabando o outro formato. MAS, até esse momento, o outro formato de SEMPRE manteve-se. Tão simples quanto isso. Até porque a Liga Experimental era “quase”, ou mesmo, por convite As outras equipas, que até continuavam a disputar o Campeonato de Portgal, não mereceiam, era ? Simples.. Era Experimental… Queriam ver como corria e convidavam os clubes que entendiam, os qais até podiam recusar se quisessem, pois envolvia mais deslocações e despesas. É que é algo tão, mas tão simples que faz confusão aos mais burros. )

Deixar uma resposta