Fabrice Fokobo renovou esta semana pelo Sporting Clube de Portugal ficando com um contrato válido até 2019. O atleta começou a ganhar visibilidade na época 2012-13, de má memória, quando foi lançado de repente a titular num jogo contra o Futebol Clube do Porto. Fez um jogo sólido e com isso foi chamado mais algumas vezes à equipa principal nesse ano.

O Caso

Quanto tudo se alinhava para ser uma das armas preponderantes da equipa B e com boas perspectivas para chegar mesmo à equipa principal começou a falar-se que não estaria interessado em renovar o contrato.

Na verdade na imprensa foi muitas vezes referido que o contrato acabaria no fim da época 2013-14, mas segundo dados oficiais do aponta para que terminaria na época 2014-15. E começou a ser muito falado o interesse do Futebol Clube do Porto no atleta.

Provavelmente haveria algum caso como o Bruma em que as partes não se entenderiam até na duração do actual vinculo. Juntando a isso pedidos irrealistas de valores para concluir a renovação, o seu futuro em Alvalade parecia cada dia mais negro.

No meio desta convulsão, em Janeiro, deixou subitamente de ser opção para a equipa B. O que só fez aumentar as suspeitas e os rumores.

A renovação

No entanto, e quando já ninguém esperava, foi anunciada esta semana uma renovação, e de longa duração. De salientar o facto positivo que neste caso nem a direcção nem o jogador alimentaram polémicas publicas, tenha existido ou não um braço de ferro.

O Futuro

Fabrice Fokobo é aos 20 anos um jogador de futebol ainda em formação. Muito precisa ainda de ser trabalhado, mas o potencial aparenta lá estar.

Podendo ser usado tanto a central como a médio defensivo, parece ser nestas últimas funções que se sente mais a vontade. Dono de um impressionante poder físico, não só pela estatura, mas também pela potência, velocidade e impulsão.

Dono de alguma técnica, mas sem ser um jogador de fino recorte, consegue sair com a bola controlada sem grandes dificuldades. Alia isto a um remate muito forte, imagem que fica marcada num golo de antologia que marcou na NextGen Series.

Parece-me que seria um jogador interessante a emprestar esta época, como o foram João Mário, William e  Adrien no passado, especialmente para um clube onde se assumisse como titular indiscutível. Que tal o Boavista? O Petit tinha caracteristicas semelhantes, mas menos físico, e podia ensinar-lhe algo…

De qualquer forma se evoluir, poderá ter um dia um lugar no Sporting, e parece que neste momento já está um passo acima da equipa B.

Deixar uma resposta