Ezequiel Schelotto

Para continuar a série de análise às prestações individuais dos jogadores do Sporting esta época segue agora o nosso número 2 Ezequiel Schelotto. O Italo-Argentino assinou com o Sporting a meio da primeira volta depois de durante a pré temporada ter por muitas vezes sido falada a sua contratação. Foi-lhe oferecido um contrato até ao fim da temporada, para ver se resultava, com opção por prolongar por mais três temporadas.

E lembro-me bem do seu primeiro jogo em Alvalade, visto como sempre estar lá presente e com atenção redobrada no novo reforço. Foi no fim de Dezembro num jogo frente ao Paços de Ferreira para a Taça da Liga. E posso dizer que não me impressionou nada.

Mau posicionamento defensivo e péssima recepção de bola foi o que me transpareceu desse jogo. Isso além de uma falta de confiança que não me parecia sua.

E que se revelou que não era mesmo sua, visto ao fim de um par de jogo desapareceu, ao ponto de se tornar o inverso disso mesmo. Provavelmente será o jogador com maior autoconfiança do plantel, o que defensivamente me fez tremer algumas vezes.

Ver a tranquilidade com que resolve fazer um toque de calcanhar ou uma finta arriscada na defesa é assustadora. Especialmente porque não tem a qualidade técnica para o executar com um grau de eficácia suficiente para essas aventuras nesses terrenos.

Por outro lado mesmo não tendo grande técnica tem uma velocidade, em arranque mas especialmente em longas corridas, muito apreciável. O que o faz chegar a zonas de cruzamento com muita facilidade. E depois usa a sua maior arma, a capacidade de cruzar regularmente.

Não são cruzamentos tensos e perfeitos como os de Jefferson. Nem variados e imprevisíveis de João Mário ou Bryan Ruiz. Mas são sempre numa de duas formas, o que permite aos avançados que o conhecem aproveitar os lances. Aumenta o nosso caudal de bolas na área.

Defensivamente melhorou o seu posicionamento ao longo da temporada, e a sua elevada estatura permitiu ganhar mais centímetros e bolas pelo ar. Juntando isso à sua velocidade e ao Sporting usar um bloco alto tornou-o um jogador extremamente útil, mesmo que não seja um jogador brilhante.

De notar que em todos os jogos que efectuou no campeonato a titular o Sporting apenas não ganhou uma vez, naquele triste empate em Guimarães.

Futuro

Com 27 anos deverá estar no topo da sua carreira, e é um jogador útil, até pela versatilidade em ocupar variadas posições. Sendo para mim o lateral direito do Sporting esta temporada.

No entanto não é uma estrela, logo se houver condições financeiras para ir buscar um lateral de enorme qualidade, seria de abdicar de Schelotto. Caso a opção seja manter os custos para esta posição, penso ser uma jogador que serve perfeitamente, e que não compromete mesmo sem entusiasmar.

Deixar uma resposta