Ewerton

Chegou a altura de falar sobre o nosso número cinco Ewerton. Um defesa central de 27 anos e um excelente trajecto no Sporting de Braga que chegou até nós no mercado de inverno de 2015. Como foi a sua época? E qual o seu futuro no Sporting Clube de Portugal?

Para falar sobre Ewerton convém ir buscar duas coisas que já disse aqui no Sporting Com Filtro.

A primeira delas no meio de um artigo em que falava de Ewerton, Paulo Oliveira e Naldo.

Ewerton é um central longilíneo. Apesar de ter uma altura semelhante a ambos os colegas, parece sempre o mais ligeiro deles. Isto muito por fruto da sua velocidade. Esta é a sua maior arma, que usa tanto para compensar algum deslize que tenha, como para recuperar metros após uma acção ofensiva que tenha. É também dos três quem tem melhor técnica, e melhor tempo de desarme. No entanto é o menos acrescenta em termos de liderança.

E isto escrevi quando foi oficializado no inicio da temporada que iria ser contratado em definitivo.

Primeiro que tudo significa que se valoriza de forma positiva o trabalho que ele realizou no Sporting na recta final do campeonato. E sinceramente concordo com essa visão. Foi um jogador que quando foi chamado a intervir o fez de forma positiva, e fez um trabalho decente.

Nada de extraordinário, mas suficiente para ser titular, e claramente mais valioso que os 1.5M€ que custou ao clube.

No entanto estava claramente a pensar que esta contratação não seria efectuada. Não pelo valor do negócio, ou valor técnico do jogador. Mas porque Jorge Jesus tende a apostar em um central de enorme poder físico e aereo, coisa que apesar de alto não é o principal ponto de venda de Ewerton.

A Época de Ewerton

Ewerton apesar de ser um central interessante, e que Jorge Jesus apreciava não era claramente a sua primeira escolha para o lugar. Juntando a isto as lesões que teve, primeiro no inicio da pré-temporada e depois no Inverno, fez com que apenas fizesse oito jogos para o campeonato.

Na Liga Europa, fruto da rotação, foi onde esteve com mais regularidade, ao jogar por cinco vezes.

Não tendo estado particularmente mal em nada do que foi fazendo notou-se no entanto um problema. Fruto das suas lesões, ou da falta de ritmo a sua falta de velocidade em campo foi sempre um problema. E olhando para o que dissemos dele antes, a velocidade era a sua maior arma. Ora, quando a nossa maior arma deixa de estar presente, estamos claramente deficitários.

O Futuro de Ewerton no Sporting

Sinceramente acho que não há futuro para Ewerton no Sporting. Portou-se bem com o clube mesmo não jogando, mas temos centrais suficientes para o banco. E com a dupla Coates e Rúben Semedo numa forma fenomenal, e sendo até mais jovens, não faz sentido manter Ewerton.

Penso que terá algum mercado, logo recuperar o 1.5M investido nele não será um problema espero. Mas por agora é agradecer o profissionalismo, e seguir caminhos diferentes.

Deixar uma resposta