Esta noite na Choupana o Sporting tinha a obrigação de deixar quase carimbada a presença na final. Pedia-se uma entrada de leão para afastar o mito das primeiras partes fracassadas. Mas a primeira parte em vez de corrigir o mito, apenas lhe deu mais força. Uma primeira parte amorfa. Com falta de garra. E com falta de frieza na decisão ao mesmo tempo. Nenhum dos sectores passa ileso a esta falta de atitude colectiva.

Na segunda parte sofremos um golo por um erro do Rui Patrício. Eu sou um fã completo do nosso guardião, mas falhou. De seguida Tobias marca, mas de seguida voltamos a sofrer. Nada bom, e atitude inqualificável por parte de toda a equipa. Em boa verdade, toda menos os centrais. Apesar de tudo consegui gostar da exibição deles.

Adrien Silva entra, e a atitude muda por completo. Já muitas vezes referi, e cada vez acredito mais nisso, Adrien é dos nossos jogadores mais importantes. Pode nem ser pela qualidade das bolas que lhe saem dos pés. Mas com ele em capo todos os outros correm mais. E até parece que decidem melhor. Um capitão é assim, com ou sem braçadeira. E Adrien neste momento é um líder em campo.

No fim, Mané num lance de inspiração lá marca um golo de belo efeito, e trás para a segunda mão em Lisboa uma eliminatória em vantagem. Não estou satisfeito, continuo a ver inúmeros problemas nesta equipa, e Marco Silva tem muito que trabalhar para segunda feira mostrar mais no jogo contra o Penafiel.

Mas no fundo, e apesar da má exibição, temos de aceitar que o resultado é positivo.

1 COMENTÁRIO

  1. Boa noite,

    Fizeste muito bem em não falar no André Martins, porque ele apesar de estar na ficha de jogo ninguém o viu em campo…

    Como andam miúdos com valor (porque já o mostraram!!) na equipa B e aquela espécie de jogador a arrastar-se em campo. Perguntar para Marco Silva responder na próxima 2ª feira…

Deixar uma resposta