As eleições para a Liga Portuguesa de Futebol foram uma guerra estranha, finalizada com a pedra de toque de haver apenas uma lista aceite. E no meio disto tudo até me pareceu correcta essa decisão, visto uma das pessoas candidatas, o Engenheiro Rui Alves, ser uma pessoa tudo menos idónea. O outro candidato rejeitado, Dr. Fernando Seara, foi apresentado em duas listas. Com tanta confusão estas listas serem rejeitadas não me chocou em nada.

No entanto vem agora a carambola. Na justiça desportiva, ou injustiça visto ser a feita pela Federação Portuguesa de Futebol, a candidatura de Fernando Seara foi recolocada em cima da mesa. E com isto novas eleições terão de ser feitas. Claro que não quero meter em causa a justiça da FPF, eleita e apoiada pelos mesmos que apoiavam a candidatura de Seara. Isso deixar de achar idóneas as pessoas que gerem o nosso futebol.

A teoria da conspiração

Mas uma pessoa ter imaginação não paga impostos, felizmente, e sempre podemos pensar em cenários.

Imaginemos que um dos apoiantes de Seara era o clube do qual ele já foi dirigente e ainda é sócio e comentador. Além disso também é amigo do presidente desse clube.

Imaginemos também que um dos seus apoiantes a nível politico, e amigo pessoal, é dono de uma estação de televisão desportiva, e também dono dos direitos de grande parte dos direitos de transmissão televisiva desportiva em Portugal.

Agora mais giro ainda, o seu amigo do clube à um ano atrás rompeu com o seu amigo da televisão, porque queria mais dinheiro. Como este não lho deu, abriu uma televisão sua. O problema é que os lucros que teve com isso parece que nem a metade chegam dos que os que o seu amigo da televisão lhe tinha oferecido.

Mas agora é tarde. Fez muita força com tudo isso, e usou até como arma eleitoral para se manter como presidente do clube este amigo do Seara.

No entanto o Dr. Seara tem como uma das propostas a venda centralizada dos direitos televisivos da prova. O amigo presidente lá teria de ceder, a contra gosto publicamente, os direitos. Claro que se faria ressarcir da maior fatia destes, até porque já tinha uma operação que publicita como de enorme sucesso, lesando o outro grande da cidade. Mas deste o Dr. Seara não é sócio nem amigo. E o amigo da televisão é sócio e apoiante de um clube mais a norte, logo não ficaria chateado.

O amigo da televisão ficaria de novo com monopólio. O amigalhaço do clube fica com mais dinheiro, sem chatices, e a poder dizer aos seus eleitores que fez tudo contra o sistema. E eles continuam a acreditar que o sistema é dos outros.

Mas pronto, isto é só uma teoria da conspiração, e eu sou alguém com muita imaginação…

1 COMENTÁRIO

Deixar uma resposta