Infelizmente pelo próprio decurso do inquérito promovido pela Comissão de Instrução e Inquéritos da Liga,  pelas questões colocadas, nomeadamente aos árbitros, e pela condução da inquirição no que diz respeito ao Presidente do Sporting Clube de Portugal (que, no momento certo, irá pelo mesmo ser revelada), não era expectável outra decisão diferente da que hoje foi conhecida.

Infelizmente o Futebol Português parece continuar a querer ser reconhecido na Europa como um excelente formador de talentos, uma  nação com Clubes de dimensão europeia mas um dos países com piores práticas de futebol.

O Sporting Clube de Portugal irá recorrer da decisão hoje conhecida e não serão estas tomadas de decisão,  que prejudicam gravemente o futebol,  que irão demover o nosso Clube, em todas as instâncias necessárias, para a penalização de quem comete actos como os ora mencionados (relembramos que se trata da oferta de 1120 jantares por época a árbitros, delegados e observadores) e para a modernização, credibilização e dignificação do Futebol que, decisões como esta  ou a criação de conceitos inexistentes como o de “dolo sem intenção”, não permitem.

Pela nossa parte, estamos 100% de acordo. Mas a máfia que rege o Futebol Português tem a lição bem estudada….

Deixar uma resposta