O retorno de um dos grandes clássicos do futebol português. Uma viagem histórica ao Porto para defrontar um dos clubes com mais história no país. Um estádio bonito, claramente de estilo inglês, e com muitos adeptos irredutíveis. E um Sporting a ter de ganhar.

O Adversário

O Boavista está esta época de volta, e é claramente uma equipa em formação. Uma equipa construída à imagem do seu treinador, Petit, em que se sabe que esforço e coragem nunca lhes faltarão.

E claro, uma dose extra de virilidade, sempre a roçar o legal, se não mesmo passando-o volta e meia. As três expulsões no jogo da semana passada provam isso mesmo.

O Sporting

A equipa está bem, recomenda-se e precisa de ganhar. No entanto não nos podemos esquecer do jogo mais difícil da época a disputar terça feira em Londres.

Algumas poupanças podem, e devem ser feitas. Jefferson foi a primeira, indo directo para os não convocados. Os centrais não sofrem grande desgaste, e Cédric está suspenso na liga dos campeões. Miguel Lopes no entanto pode jogar para rodar também um pouco, não sendo também opção na Europa.

William deve jogar, até porque parece finalmente estar a readquirir o ritmo. Entre João Mário e Adrien, tendo se entrarmos no esquema habitual, um deles deveria descansar este jogo. André Martins, tendo em conta o que já fez, e a dificuldade do adversário, poderia entrar nos titulares.

Nas alas Capel e Carrillo poderiam assumir o onze, descansando um pouco Nani e Carlos Mané para terça feira.

Na frente de ataque, Montero tem estado muito bem, e Slimani é daqueles jogadores que não precisa de grande descanso. Qualquer um deles é uma boa opção.

E claro, Rui Patrício. Hoje cumprirá 300 jogos pelo Sporting. E que 300. Um grande nome já da nossa história, e que venham mais 300!

Previsão

Apesar de ser estatisticamente o terreno mais complicado para o Sporting no campeonato, este não é um Boavistão. Com isso temos de exigir a vitória e já agora algum espectáculo, que bem merecemos!

Deixar uma resposta