Jurisprudência

Uma das coisas mais importantes na justiça, seja ela a desportiva ou a civil, é a percepção de que para o mesmo caso o julgamento irá ser sempre o mesmo independentemente de quem são os intervenientes. É o conceito sempre relevante de jurisprudência.

Defendi que, tal como todos os especialistas consultados, o penalti que Bas Dost sofreu no jogo com o Vitória de Setúbal em Alvalade foi bem assinalado. (podem ler mais sobre o lance aqui).

A Jurisprudência

No fim do Rio Ave contra o Benfica algumas vozes levantaram-se contra o penalti que Jonas sofre. Em que realmente não o é com muita intensidade, e também parece que se ajeita à falta. Mas tal como no lance de Bas Dost os especialistas consideraram penalti. E sinceramente pareceu-me que se estava a criar uma certa jurisprudência neste tipo de lances.

Até em conversa com o Bancada de Leão disse o seguinte ontem de manhã:

O segundo devia ser um “não vejo mal nenhum”. Erro provocado pelo telemóvel.

O esquecimento da Jurisprudência

Neste lance o puxão do jogador do Estoril a Bas Dost é ainda mais óbvio que nos dois lances anteriores. Em bola corrida talvez seja díficil de ajuizar, não retiro esse ponto da equação.

Mas foi chamado o video-árbitro para o lance. E aí tendo em conta como se tem avaliado este tipo de lances teria de ter sido marcado penalti.

A opinião dos especialistas

Os especialistas também acham claro o lance, e o penalti que ficou por marcar. Felizmente este lance acabou por não ter influência no resultado, mas terá de ser visto com atenção para não se repetirem lances destes julgados de forma diferente.

Quanto aos lances de fora de jogo no final do jogo, aí é casos de dúvida zero. Ambos os lances foram bem decididos pelo vídeo-árbitro e evitaram dois erros graves de arbitragem. É para isto que serve este tipo de tecnologia, e ainda bem que existe.

2 COMENTÁRIOS

  1. Sinceramente, e apesar de existir realmente um puxão, aceito que o árbitro não se aperceba do mesmo durante o jogo. Não acho que seja um erro grosseiro não o ter marcado.
    Mas comparado com o lance do Jonas é ridículo que este não seja marcado. O lance do Jonas só o árbitro parece ter tido a certeza do que aconteceu. Sinceramente, eu acho que as imagens não são conclusivas e aceito a decisão do árbitro, mas vão haver muitos mais penalties este ano…. Ou como se viu no jogo de ontem… nem por isso.

    https://3grandesnaliga.blogspot.fi/

    • Que um árbitro isento deixe passar este lance, corrido, aceita-se… Mas o Godinho não é um árbitro isento daí levantarem-se algumas questões. Que o VAR deixe passar este penalti já não tem desculpa…
      É uma cena muito similar ao lance do Eliseu na jornada passada. Em campo, e até dada a fita que o Eliseu faz, é natural que até fiquem duvidas a um árbitro isento, mesmo que lhe tenha parecido que aconteceu o que aconteceu mesmo. Mas o Rui Costa não é isento, não esquecer! Que o lance passe em claro ao VAR (Vasco Santos)… é impossível! Este lance não deixa duvidas a ninguém honesto! Portanto, só há uma explicação que é o Vasco Santos não é honesto. E não sendo honesto, comprovadamente, só tem de ser afastado… Não há outra leitura a casos destes!
      E casos destes já hove na Supertaça – entrada de tesoura por trás do Jonas para vermelho directo; pontapé sem bola por trás do Jardel ao Rafael Miranda para vermelho directo – onde o VAR era o Jorge Sousa e nem falta ou amarelo se marcou. E houve o lance do Eliseu, similar ao do Jonas, com o Braga, que só deu amarelo e até a CS assinalou que devia ter sido vermelho.

Deixar uma resposta