Foram 20 jogos, 20 vitórias, 104 golos marcados e somente 11 sofridos.

Quis o calendário elaborado pela Federação Portuguesa de Futebol que as pequenas Leoas jogassem dois jogos no Domingo com apenas cinco horas de diferença entre o início de cada partida (um às 11:00 e o segundo às 16:15), aberração que só pode ser explicada pela própria Federação. Se no futebol profissional é obrigatório existir um intervalo de 72 horas entre dois jogos de forma a permitir o descanso dos atletas, que justificação terá a FPF para isto? Só encontro uma: total desrespeito pelas atletas que procuram evoluir e elevar o futebol feminino português para outro nível. Perante tal atitude da federação, a líder e treinadora desta equipa foi perentória: “Se a FPF quiser marcar 3 jogos num mesmo dia, mesmo assim, elas vencerão todos os jogos e seremos campeãs novamente!

Estas Leoas representam, em toda a sua plenitude, o que é ser Sporting: Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. A equipa técnica liderada pela Mariana Cabral orientou um grupo unido, focado e solidário, que foi espalhando a magia do futebol nos relvados por onde competiu.

Não obstante da sua superioridade em campo, o valor das adversárias nunca foi esquecido, nem subvalorizado. Acima de tudo, desportistas.

O departamento de futebol feminino mostra a sua competência com a conquista dos campeonatos nacionais seniores e juniores, bem como o campeonato distrital em juvenis. Ainda podem ser acrescentadas as 3 taças que ainda faltam disputar nestes escalões.

Esta vitória é de todos, dos adeptos que sempre apoiaram em cada jogo, daqueles que integram a secção do futebol feminino, da Raquel Sampaio, da Mariana Vaz Pinto, da Mariana Cabral, do Rodrigo Morais, do Carlos Daniel, do Ricardo Martins, do Fábio Santos e do Hugo Marques.

As Campeãs:

Nadine Alexandra, Carolina Jóia, Carolina Beckert, Taíssa, Bruna Serpa, Diana Boagarim, Francisca Silva, Joana Martins, Beatriz Correia, Mariana Rosa, Neuza Besugo, Márcia Neves, Beatriz Conduto, Carolina Monteiro, Iva Vieira, Andreia Jacinto, Inês Macedo, Inês Pereira, Tânia Rodrigues, Bárbara Marques, Bruna Costa e Constança Silva.

Nota final para o lema #NãoHáDesculpas usado pela equipa, nascido do génio e do exemplo da Capitã Francisca Silva, que se tornou numa divisa transversal à toda formação do Universo Sporting, a Grande Família Sportinguista.

Deixar uma resposta