Sou o primeiro a dizer que a Taça da Liga, ou Taça CTT como se chama agora, é de todas as competições do calendário a que menos me interessa.

O ano passado tomou-se a decisão que jogariam apenas reservas e jovens nesta competição, colocando à partida a vitória nesta prova fora dos objectivos. Aceitei isto facilmente, e até posso ir mais longe dizendo que concordei. Saímos da prova de cabeça erguida, e muitos jovens mostraram raça e querer e deram nas vistas.

Este ano o caso foi diferente. Jorge Jesus e Bruno de Carvalho disseram que seriam usados jogadores da equipa principal, mesmo que houvesse alguma rotação. E que não sendo o primeiro objectivo da época, seria um objectivo secundário.

Vi o sorteio da fase de grupos, e pensei que bastaria ganhar ao Paços de Ferreira para conseguir a passagem tranquila. Tanto foi assim que até compareci no estádio nesse jogo.

Ontem o jogo era contra o Portimonense. Um dos melhores clubes da Segunda Liga, e que não deve nada a União da Madeira ou Tondela. Mas acho que os nossos suplente têm sempre a obrigação de ganhar a clubes deste orçamento.

Ontem durante o jogo, e especialmente depois do mesmo, muito me lembrei de uma música que se canta repetidamente em Alvalade:

Quando os rapazes
de verde e branco
entram em campo
é para ganhar

Não tenham medo
joguem à bola
e a camisola
é para suar!

E isto foi tudo aquilo que não fizeram ontem. Não entraram para ganhar. Medo talvez não tenham tido, mas vontade foi pouca. Não jogaram à bola, poucos foram os que suaram, e claramente que não honraram a camisola que traziam vestida.

Continuo a acreditar no campeonato, nesta equipa, equipa técnica e directiva. Mas meus caros, ontem quem entrou em campo devia ter noção da má imagem que passaram.

Foi após uma cena deste tipo que Bobby Robson marcou um treino mal acabou o jogo, e obrigou quem fez a triste figura a correr durante quase uma hora.

PARTILHA

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.