Segundo os nossos amigos Tripiões (a histórica irmandade de tripeiros e lampiões quando ao Sporting o assunto diz respeito) ontem viveu-se uma noite de roubo em Arouca. Mas nada como olhar para os factos, e deixar aqui cinco factos sobre o tal penalty, e o jogo em si.

  • Caso o jogo tivesse sido em Aveiro, onde o Arouca defrontou o Benfica, e não no batatal Arouca o lance do penalty não teria acontecido. O jogador do Sporting Naldo tropeça num buraco, e foi com isto que caiu. E é por essa queda que acontece todo o lance.
  • Dou o beneficio da dúvida ao árbitro Cosme Machado neste lance. Eu se fosse árbitro, e até depois da repetição, teria assinalado penalty.
  • Todos os árbitros, e ex-árbitros, com quem o Record, O Jogo e A Bola, falaram consideraram a decisão de Cosme Machado correcta.
  • Os jogadores do Arouca não protestaram o lance na hora, apenas a sua equipa técnica e dirigente após o encontro armaram um escarcéu. Provavelmente depois de algumas mensagens recebidas de outras partes.
  • Toda a estratégia de Lito Vidigal, como já fazia nos tempos de Belenenses quando defrontava o Sporting, passa por antijogo. Não apenas defesa dura, e fechada, mas todas as estratégias a roçar a ilegalidade, e de longe a passar a moralidade.

Com estes factos só me posso congratular com a decisão de Cosme Machado, e mais anda com o golo de Slimani que nos deu a merecida vitória.

Citando o que Lito Vidigal disse a Cosme Machado, mas desta vez dirigido ao “treinador” do Arouca: Vai pró caralho!

1 COMENTÁRIO

Deixar uma resposta